Líder de Bolsonaro no Senado, é alvo da Polícia Federal por suspeitas em irregularidades nas obras da Transposição

O líder de Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) é alvo de uma operação da Polícia Federal no Congresso Nacional e em mais dois estados, inclusive a Paraíba, na manhã desta quinta-feira (19).

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão na operação se baseia em inquérito que apura irregularidades em obras da transposição do Rio São Francisco. Bezerra foi ministro da Integração no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Na Paraíba, a PF cumpre mandados de busca e apreensão no escritório do Instituto de Pesquisa Alfa, que fica no Royal Trade Center, na avenida Epitácio Pessoa. O Instituto é especializado em pesquisas eleitorais, soluções governamentais, além da elaboração e desenvolvimento de sites de prefeituras, entre outras atividades.

O filho de Bezerra, deputado Fernando Coelho Filho (DEM-PE) também está entre os alvos da operação.

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos com autorização do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, a investigação envolve delações premiadas de doleiros e empresários. Segundo informações do inquérito, a suspeita é de que dinheiro de contratos superfaturados ou fictícios de obras vinculadas ao Ministério da Integração Nacional tenha sido desviado para campanhas dos políticos.

A apuração ainda tem ligação com a operação Turbulência, deflagrada em 2016, que prendeu donos do avião que caiu com o ex-governador pernambucano Eduardo Campos durante a campanha de 2016.

O advogado do senador, André Callegari, afirmou que “causa estranheza à defesa que medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos que não guardam qualquer razão de contemporaneidade com o objeto da investigação”.

“A única justificativa do pedido seria em razão da atuação política e combativa do senador contra determinados interesses dos órgãos de persecução penal”, completou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.