“Discurso bonito não enche barriga e nem muito menos açude”, denuncia Bruno Cunha Lima

O deputado estadual Bruno Cunha Lima (PSDB) lamentou a politização que o governador Ricardo Coutinho (PSB) e seus aliados vêm fazendo com o abastecimento de água em Campina Grande. Para ele, o assunto, que sempre foi o principal problema do município, tornou-se objeto de uma tentativa do Governo de criar um palanque político, ao invés de ser encarado como uma política pública prioritária. Ele defendeu a racionalização do uso da água e disse que o açude Boqueirão não vai atingir o nível seguro apenas pela retórica do Governo.

“A falta d’agua em Campina Grande sempre foi nosso principal adversário. Esse é um assunto muito sério para ser politizado. Discurso bonito não enche barriga e nem muito menos açude. Porque o que nós temos visto, e são fatos, é que desde que o Governo suspendeu o racionamento o açude de Boqueirão praticamente não acumulou mais água”, afirmou o deputado na tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (20).

O parlamentar comentou a decisão da Justiça Federal que atendeu pedido do Ministério Público Federal, determinando o retorno do racionamento na Rainha da Borborema, visto que, o açude Boqueirão não conta com reserva hídrica suficiente para que o fim dessa medida seja adotada, como fez o Governo do Estado, através da Cagepa.

“Nas palavras do governador Ricardo Coutinho todos estão errados, o Ministério Público do Estado da Paraíba, o Ministério Público Federal, a Justiça Estadual e Federal, a Defensoria Pública, a classe política, os empresários, a população de Campina Grande, todos estão errados. Apenas o governador insiste no fim do racionamento como se fosse uma saída redentora para acidade, quando nós sabemos que o que se passa em Campina Grande é uma tentativa de criar um ambiente político com um assunto que não deveria ser tratado como tal”, lamentou.

Denúncia – Bruno Cunha Lima aproveitou para fazer uma denúncia sobre um possível desvio das águas que chegam da transposição do Rio São Francisco. Segundo ele, entre a cidade de Monteiro e o açude Boqueirão a água estaria sendo desviada. “Governo deveria se preocupar com essa questão, afinal o volume de água que sai de Monteiro é muito maior que o que entra em Boqueirão. Deveria se preocupar em administrar as águas que estão chegando e não se preocupar em fazer política nas costas alheias”, completou.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.