SMS qualifica profissionais da Atenção Básica para atendimento de usuários com transtorno mental

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa está promovendo uma série de matriciamento com os profissionais que trabalham na Atenção Básica para atenderem, nas unidades de saúde da família (USF), usuários com transtornos mentais. Os encontros estão acontecendo desde o mês e julho e seguem durante o mês de agosto com as equipes dos cinco distritos sanitários da Capital.

De acordo com a coordenadora da área técnica de Saúde Mental da SMS, Alessandra Gomes, o objetivo do matriciamento é alinhar o atendimento da Atenção Básica com os usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). “Muitas vezes os médicos têm receio para receitar uma medicação e o matriciamento visa oferecer essa segurança necessária, assim como também para os outros profissionais da equipe” afirmou.

Matriciamento é o suporte realizado por profissionais e diversas áreas especializadas dado a uma equipe interdisciplinar com o intuito de ampliar o campo de atuação e qualificar suas ações. “É um processo contínuo em dois a três encontros, em que o psiquiatra orienta os médicos e a equipe multiprofissional dos CAPS orienta os outros profissionais da Atenção Básica”, explicou Alessandra.

Serviço – A Rede Municipal de Saúde dispõe de quatro Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), que são instituições destinadas a acolher pessoas com transtornos mentais e persistentes ou que fazem uso abusivo de substâncias psicoativas. Esses centros substituem a internação psiquiátrica, buscando a reinserção social através do tratamento, uma política defendida pelo Ministério da Saúde, através da portaria 10.216/2001 que diz respeito à reforma psiquiátrica.

A Rede de Atenção Psicossocial é composta pelo Caps I – Cirandar; Caps AD – David Capistrano; Caps Caminhar; Caps Gutemberg Botelho, além de uma Unidade de Acolhimento Infantil, um Pronto Atendimento em Saúde Mental (Pasm), duas Residências Terapêuticas e leitos em hospitais gerais que fazem parte da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) e funcionam de acordo com a Política Nacional de Saúde Mental.

Nos Centros, o paciente recebe acompanhamento de médico, psicólogo, enfermeiro e assistente social, além de participar de oficinas, grupos terapêuticos, atividades esportivas e culturais que procura integrá-los em um ambiente social e cultural junto às famílias. Uma equipe multiprofissional acompanha de perto os usuários para garanti-los a responsabilização e ao protagonismo em toda a trajetória do seu tratamento.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.