28.1 C
João Pessoa
InícioDestaqueDesembargador vota para aumentar pena de Johannes Dudeck, suspeito de matar Mariana...

Desembargador vota para aumentar pena de Johannes Dudeck, suspeito de matar Mariana Thomaz

Se depender do desembargador Fred Coutinho, do Tribunal de Justiça da Paraíba,  imposta a Johannes Dudeck pela morte da estudante de medicina Mariana Thomaz. será aumentada.  O acusado foi condenado a 32 anos de prisão em novembro do ano passado.

A defesa do réu recorreu da decisão e pediu que a Câmara Criminal do TJPB anulasse a condenação imposta a Dudeck. Em sessão realizada nessa terça-feira (09), o desembargador Fred Coutinho, relator do caso no colegiado, anunciou voto aumentando a pena por homicídio qualificado para 25 anos e seis meses, dois a mais do que havia sido imposto anteriormente pelo juízo de primeira instância.

Para Fred, houve um “erro matemático” na aplicação da pena. Com o aumento, a pena a Johannes Dudeck chegou a 34 anos e seis meses, quando somada às demais condenações. O julgamento foi suspenso após o pedido de vistas apresentado pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida.

O caso  

O corpo de Mariana foi encontrado no dia 12 de março de 2022, após a polícia receber uma ligação de Johannes Dudeck informando que a estudante estava tendo convulsões. A investigação observou sinais de esganaduras.

O réu foi preso no local e encaminhado para um presídio especial de João Pessoa. O relatório final do inquérito indicou os crimes de feminicídio e estupro, conforme informações obtidas do laudo tanatoscópico do Instituto de Polícia Científica (IPC), exame feito para comprovar a existência de violência sexual.

O feminicídio de Mariana Thomaz resultou na edição da Lei Estadual 12.297/22 (Lei Mariana Thomaz) que determina, entre outras medidas, que as instituições estaduais de assistência e acompanhamento às mulheres promovam a divulgação dos sites e demais locais de consulta sobre os antecedentes criminais de terceiros.

A ferramenta disponibilizada para esse tipo de consulta é gerenciada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba e pode ser acessada aqui.

Redação/MaisPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas