Parceria do Ortotrauma de Mangabeira com Sírio-Libanês apresenta bons resultados na unidade hospitalar da Capital

A parceria do Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) com o Hospital Sírio-Libanês para otimizar o fluxo de atendimento e garantir eficiência e agilidade nos processos na unidade hospitalar da Capital teve mais dois encontros esta semana. As reuniões foram realizadas nesta segunda (26) e terça-feira (27), onde definiram novas metas e apresentaram bons resultados.

Durante o encontro, que aconteceu no auditório do Ortotrauma, a diretora da unidade, Ana Giovana Medeiros, destacou as melhorias apresentadas pela unidade hospitalar depois da retomada da consultoria junto ao Sírio-Libanês. Principalmente na questão de evitar uma superlotação, grande foco do projeto Lean nas Emergências, colocado em prática através do Ministério da Saúde.

“Melhoramos o processo de reorganização e reavaliação do trabalho de cuidado em equipe e, proporcionando uma efetividade maior na assistência e, também, no giro de leitos, mantendo uma continuidade no número de cirurgias. O nosso objetivo é evitar a superlotação, mas com eficácia na assistência, por isso que estamos participando dessa parceria junto ao Sírio-Libanês, com o envolvimento de todos os setores – uma equipe multidisciplinar, para dar uma celeridade no atendimento, sem cair o nível da assistência”, afirmou.

O consultor do projeto Lean nas Emergências, Ricardo Camelo, um dos profissionais que faz a consultoria junto aos profissionais do Ortotrauma de Mangabeira, disse que a unidade vem correspondendo muito bem aos processos que estão sendo implementados, como soluções para superlotação, protocolos de capacidade plena, plano de contingência, entre outros.

“Encontramos um hospital muito receptivo, principalmente a equipe do Pronto Socorro, que é o nosso foco. A proposta é resolver, com o Hospital, a diminuição da superlotação, garantir a segurança do paciente e o bem-estar da equipe colaboradora, além de agilizar e melhorar o tratamento desse paciente no andar específico. E estamos vendo que o Ortotrauma está correspondendo muito bem”, ressaltou.

A reunião desta terça-feira (27) marcou o fim da discussão dos processos, a partir do próximo, que vai acontecer no dia 9 de dezembro, a consultoria entra na fase de implementação dos planos e processos. “As chances de sucesso do Ortotrauma são extremamente altas, porque a gente viu a participação do Pronto Socorro, mas, também, das partes que se comunicam com o Pronto Socorro, e isso é o que faz o hospital andar”, finalizou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.