Secretaria Municipal de Saúde vacina crianças e adolescentes em Dia D da Campanha de Multivacinação e contra Polio

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou na manhã deste sábado (17) o dia D da Campanha Nacional de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite. Além de alusiva ao Dia Nacional da Vacinação, a ação tem como objetivo atualizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes e reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no País. A Campanha segue até o final do mês em mais de 100 postos de vacinação espalhados por toda a cidade.

Mesmo com a realização do dia D neste sábado, para evitar aglomerações e a disseminação do coronavírus, um outro dia D também será realizado no dia 31 de outubro. Até lá, os pais e/ou responsáveis também podem levar as crianças e os adolescentes para atualizar a caderneta de vacinação em Unidades de Saúde da Família (USF), de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h, e das 12h às 16h; nas Policlínicas Municipais, de segunda a sexta, das 7h às 17h; e no Centro Municipal de Imunizações (CMI), também de segunda a sexta, das 8h às 16h.

O público-alvo estabelecido pelo Ministério da Saúde para a multivacinação são as crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Já a campanha contra a poliomielite é voltada para as crianças menores de cinco anos de idade, com estratégias diferenciadas para as crianças menores de um ano e para aquelas na faixa etária de um a quatro anos de idade.

Uma das crianças vacinada nesse dia D foi a pequena Lara, de três anos. “Me preocupo sempre em manter as vacinas de Lara em dia e mesmo sabendo que o cartão de vacina estava atualizado, trouxe ela mesmo assim até a Unidade para conferir, afinal, vacina é cuidado e cuidado nunca é demais”, comenta Anelise Rosier, mãe da Lara.

Dia Nacional da Vacinação – “As vacinas têm como objetivo simular, de forma segura, uma doença infecciosa, sem causar a doença nem efeitos colaterais graves. A partir do momento que as doses são aplicadas, a vacina desencadeia uma série de reações imunológicas, que levam a um estado de proteção (imunidade protetora) contra a doença para a qual a vacina foi desenvolvida”, explica o Chefe da Seção de Imunização, Fernando Virgolino.

Para a maioria das vacinas atualmente disponíveis, a imunidade protetora é atribuída à produção de anticorpos que reconhecem o patógeno, agente causador de doença e o impedem de se multiplicar e causar a doença no indivíduo já imunizado. Dessa forma, quando nosso organismo é atacado por um vírus ou bactéria, nosso sistema imunológico, que atua na defesa, dispara uma reação em cadeia com o objetivo de frear a ação desses agentes estranhos.

“As vacinas são extremamente importantes como mais uma forma de prevenção contra doenças para a população, por isso as pessoas devem se conscientizar da importância da vacinação para manter o bloqueio de doenças dentro do nosso território, impedindo o acesso de doenças e de suas complicações”, comenta Fernando Virgolino.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.