João Azevêdo lembra que “bandeira” em Cabedelo não é a ideal e avisa que Estado pode ir à Justiça para cancelar reabertura do comércio

O governador João Azevêdo (Cidadania) sinalizou, nesta segunda-feira (29), que o Governo do Estado deve tomar medidas judiciais caso a Prefeitura de Cabedelo não atenda à recomendação do Ministério Público Estadual e se abstenha de reabrir as atividades não essenciais do município, paralisadas devido à pandemia do novo Coronavírus.

O município localizado na Grande João Pessoa anunciou a retomada das atividades, mesmo com a recomendação contrária. João disse que os setores não prioritários deveriam permanecer fechados.

“Temos que levar em consideração o exemplo de outras cidades, Curitiba, Porto Alegre, Blumenau, várias cidades que avançaram na liberação estão recuando agora em função do número de casos. Existe atividades não essenciais que não devem ser abertas. Soube que houve recomendação do Ministério Público à Prefeitura [de Cabedelo], caso não haja um cumprimento cabe ao Estado tomar as medidas para que o decreto seja respeitado e tomaremos sem problema nenhum”, disse.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.