SAMBAS DO POETA; CHAMAMENTO – Por Demétrius Faustino

Surgido no Brasil e de raízes africanas, o samba é tido como uma
expressão musical urbana carioca. Por isto, ele é considerado por muitos
como o mais original dos gêneros musicais brasileiros ou o gênero musical
tipicamente brasileiro.
E como diria o mangueirense Nelson Sargento, o samba agoniza, mas
não morre. Trata-se de uma crítica à perseguição da polícia ao samba e à
invasão de ritmos estrangeiros nas rádios e na televisão no Brasil.
A frase desse poeta nunca esteve tão atual.
O Espetáculo SAMBAS DO POETA, a ser realizado no próximo dia
24 de janeiro de 2020, pelas 20:00 horas, no Teatro de Arena do Espaço
Cultural, é uma demonstração de que o samba está vivo e com toque de
paraibanidade.
São 18 sambas compostos pelo poeta Bebé de Natércio, traduzindo a
fundo e com pureza na alma, esse gênero no seu estilo mais peculiar,
cantados por artistas da terra.
Apesar de possuir outros estilos musicais, o que é natural quando se
tem a capacidade de ser um músico pleno de combinações de sons e de
ecletismo, o poeta Bebé de Natércio demonstra nesse PD, que sabe fazer
samba também.
Segundo o poeta, a sua inspiração para o samba iniciou-se devido a
sua inquietude, e tomou mais rumo e norte ao conhecer o compositor
paraibano Zé Katimba, quando este cantou no projeto cultural “Sabadinho
Bom”.
A partir daí Katimba passou a ter uma admiração pelo poeta Bebé de
Natércio e vice-versa, que mesmo morando em Niterói, e o poeta em João

Pessoa, passaram a se comunicar quase que diariamente ou às vezes
semanalmente. Aliás, o PD, intitulado “Sambas do Poeta”, traz a participação
de Zé Katimba em uma das faixas, cujo lançamento, como dito, será no
próximo dia 24 de janeiro de 2020, no Teatro de Arena do Espaço
Cultural.
Nesse tempo de abertura de sol na cidade de João Pessoa, o clima se
mostra atrativo pra sair de casa e curtir essa roda de samba especial, com a
disposição dos sambistas em círculo, movendo seu corpo de tal maneira, que
todos acabarão irresistivelmente aderindo à sonoridade deste ritmo,
ouvindo as composições do poeta, nas vozes de Zé Katimba, Meire Lima,
Chico Luís, Paulo Brasil, Beto Malloca, Melchior Machado, Mirandinha,
Polyana Resende, Carlos Moura, DemétriusFaustino, Jéssica Cardoso,
Makários Maia, e do próprio Bebé de Natércio, desfrutando de momentos
únicos.
Afirmamos com toda convicção, que este é um disco histórico dentro
da música popular brasileira.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.