Fórum de servidores é criado para dialogar com os poderes sobre a reforma da previdência estadual

O Fórum dos servidores públicos estaduais da Paraíba iniciará,em breve, os contatos com todos os poderes do estado na busca de diálogo para encontrar alternativas à proposta de reforma da previdência estadual que não penalizem as categorias. Ontem a tarde (15/01), o conjunto de entidades realizou uma reunião, em João Pessoa, na sede do Sindicato dos Oficiais de Justiça da Paraíba – SINDOJUS e decidiu a organização de um café da manhã, no dia 29/01, com deputados estaduais para discutir a reforma.

Ficou agendada no próximo dia 24/01, às 09:00, no SINDOJUS, a realização uma plenária ampliada para as representações sindicais, movimentos sociais e sociedade para a discussão sobre o projeto de reforma da previdência Estadual, incluíndo uma apresentação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, com o objetivo de estimular o debate e a formação dos participantes.

Paralisação

O Fórum também aprovou na reunião de ontem que as entidades realizem uma rodada de assembleias para definir conjuntamente um dia de paralisação, que será intitulada “ Greve Geral Estadual”, a ser executada no primeiro dia de funcionamento dos trabalhos da Assembleia Legislativa. A data definitiva será construída na próxima plenária do Fórum.

Fórum

A retomada do Fórum dos servidores públicos estaduais da Paraíba por um conjunto de entidades sindicais, organizações de categoria e movimentos sociais, foi articulada após a suspensão da tramitação da proposta de reforma da previdência estadual do Governo do Estado.

Participaram da reunião de ontem a tarde as seguintes entidades: SINDOJUS, Aspol, Aduepb, Cut, Sintep, corrente sindical Resistência e luta, Amess, Comissão dos Servidores da Saúde do Estado da Paraíba, Sintac, Aspocep, Sindiperitos. A ADUEPB participou com a sua presidenta, Mauriene Freitas.

Ela explica que a reoganização do Fórum é fundamental para a ampliação da força política dos servidores nas intervenções que serão necessárias com o objetivo de barrar a proposta de reforma da previdência estadual ou na busca de alternativas que não prejudiquem as categorias.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.