Semob-JP apresenta diagnóstico para Plano de Mobilidade Urbana

Populares, representantes da sociedade civil organizada, membros de universidades e de instituições públicas e privadas se reuniram na manhã desta quarta-feira (11) para conhecer o diagnóstico da pesquisa que vai embasar o texto final do Plano Diretor de Mobilidade Urbana da microrregião de João Pessoa.  A apresentação foi feita durante audiência pública realizada no auditório do Ministério Público da Paraíba, uma das etapas de construção do projeto liderado pela Superintendência de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP).

A pesquisa foi realizada considerando uma amostra de 12 mil domicílios sorteados em todas as regiões da cidade. O diagnóstico, apresentado pelo técnico Adolfo Mendonça, conta com dados aprofundados do deslocamento diário da população, apontando origem e destino, os principais meios utilizados, os motivos do deslocamento e uma série de outras informações que vão servir de base para o planejamento da mobilidade urbana da Capital e dos demais municípios da microrregião: Bayeux, Cabedelo, Conde e Santa Rita.

O superintendente de Mobilidade Urbana de João Pessoa, Adalberto Araújo, destacou que o plano é um processo contínuo. “Nós insistimos na qualidade em detrimento da pressa. Quisemos fazer bem feito e entregar um bom produto. Temos agora uma base de dados muito rica, que vai nos ajudar a construir a cidade que queremos”, declarou.

Entre os presentes, estava Raimundo de Carvalho, do Bairro dos Estados, que falou sobre a importância de novas ciclovias. “Eu percebo o empenho da gestão por projetos como o da Beira Rio e da Pedro II e parabenizo porque nunca vi isso em João Pessoa, mas isso tem que ser ampliado. Temos demanda para a bicicleta e essa é a melhor alternativa”, afirmou. Já a Maria das Graças Costa, moradora do Costa e Silva, solicitou alternativas para melhorar o trânsito às margens da BR-230. “Acredito que se houvesse marginais, o fluxo melhoraria muito”, afirmou.

O encontro contou ainda com a presença de diversos conselheiros do Orçamento Participativo, do secretário do OP, Francisco José, da equipe da Secretaria Municipal do Planejamento, do secretário do Planejamento do Conde, Flávio Tavares, e do vereador Tibério Limeira.

Ainda compareceram representantes de instituições como o MPPB, Crea, CBTU, Cellupi, CAU-PB, UFPB, Iphaep, Iphan, DER, Apace, Ambaja, JAB-PB, DNit, Funad, Fórum Paraibano de Pessoas com Deficiência, Instituto dos Cegos e CCBJA. Também foram representadas organizações como o Minha Jampa, Pedal Jampa e Soma Brasil.

Etapas – A próxima etapa para consolidação do plano é a realização de um workshop para discussões aprofundadas do diagnóstico e realização de um prognóstico. Em seguida, haverá uma 3ª audiência pública onde serão apresentadas e discutidas propostas de solução dos problemas averiguados.  Partir disso poderá ser redigido o texto final do Plano.

Objetivo – O Plano Diretor de Mobilidade Urbana da Microrregião de João Pessoa será o principal instrumento de planejamento dos sistemas de circulação e transporte pelos próximos anos. Nele, irão constar os objetivos e ações para os horizontes futuros da cidade (a médio e longo prazo, 10 e 20 anos, respectivamente), buscando um trânsito mais seguro e voltado para o pedestre, ciclista e transporte público.

Com o PDMU, serão definidas diretrizes e propostas, que serão consolidadas como lei seguindo o que já determina o Plano Diretor Municipal (Decreto N.º 6.499, de 20 de março de 2009). Desta forma, os recursos serão direcionados corretamente, conforme a dinâmica da cidade, atendendo as reais necessidades da população.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.