Denúncias de perseguições e assédio no Clementino Fraga chegam ao Palácio da Redenção e à ALPB

Desde a saída da ex diretora do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, Adriana Teixeira, e a chegada da atual Thais Mayra de Matos, que várias denúncias de perseguições, maus tratos, assédios, entre outros, a funcionários, chegam quase que diariamente à imprensa paraibana. É possível conferir o abandono do Clementino, (por meio de denúncias anteriores, onde constam documentos e fotos) o que é lastimável para um hospital que trata de doenças infecto-contagiosas. Na manhã desta quinta-feira (15), essas denúncias finalmente tomaram proporções maiores e chegaram ao Palácio da Redenção e à Assembléia Legislativa, através de faixas, pedindo ao governador João Azevêdo e aos deputados, providências a cerca dessas denúncias.

As faixas trazem um pedido de socorro,recorrendo inclusive ao G11 e acusa ainda a deputada Estela Bezerra (PSB) de ser conivente com tal situação.

“Nós não aguentamos mais tanta perseguição. É muita pressão psicológica. Essa diretora é prepotente e arrogante, não cuida do hospital tampouco dos funcionários. Só queria saber porque essa diretora Thais de Matos persegue e desrespeita tantos os seus colaboradores. Na época de Adriana Teixeira, o hospital funcionava perfeitamente, cada um fazendo seu trabalho. O que a gente vê hoje em dia é falta de remédio, funcionários insatisfeitos e adoecendo. Só queremos uma solução. Só queremos um ambiente de paz no nosso trabalho”, disse uma funcionária do hospital que não quis se identificar.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.