João Azevêdo se reúne com ministro da Infraestrutura e garante dragagem do porto e VLT para CG

O governador João Azevêdo se reuniu, nesta quinta-feira (21), em Brasília, com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Na audiência, o chefe do Executivo estadual garantiu junto ao Governo Federal a conclusão da dragagem do Porto de Cabedelo e parcerias para viabilizar a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Campina Grande e discutiu o projeto da interligação da BR-101 à BR-230, no município de Bayeux.

O senador Veneziano Vital do Rêgo; os deputados federais Wilson Santiago e Efraim Filho; os secretários Deusdete Queiroga (Infraestrutura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente); Sueli Santiago (Escritório de Representação em Brasília); Adauto Fernandes (Escritório Executivo de Representação em Brasília); e a presidente da Companhia Docas-PB,  Gilmara Temóteo, acompanharam o governador na audiência.

Na oportunidade, João Azevêdo recebeu a garantia de que o Governo Federal irá licitar, em breve, a obra para a conclusão da dragagem do canal que dá acesso ao Porto de Cabedelo. “Já existem recursos na ordem de R$ 55 milhões que serão destinados a essa licitação, o que nos tranquiliza porque essa é uma luta de muitos anos porque sabemos da importância do aumento desse calado para o Porto de Cabedelo, que poderá ampliar seus horizontes em termos de movimento, nos dando a oportunidade de competir com outros portos, trazendo para a Paraíba diversos produtos”, explicou.

Na audiência, o governador também conseguiu adiantar as tratativas para a implantação do VLT na Rainha da Borborema. “Nós dependemos da cessão da faixa, hoje pertencente à CBTU, ao Governo do Estado para que a gente possa desenvolver o projeto; o ministro foi extremamente receptivo à proposta porque não há previsão de utilização dessa faixa por parte do Ministério e ficou de checar as questões jurídicas para fazer o procedimento”, completou.

Em relação à interligação da BR-101 à BR-230, em Bayeux, o gestor ponderou sobre a necessidade da obra para reduzir o tráfego de veículos e o número de acidentes no local. “O ministro ficou de analisar e nós nos colocamos na condição de participar com uma contrapartida acima do que normalmente é praticado no Governo Federal, podendo chegar a 30%. Eu saio extremamente tranquilo dessa audiência porque dos três pleitos apresentados, dois estão praticamente garantidos e um será estudado pelo DNIT”, concluiu.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.