Agosto – Por Demétrius Faustino

A crença de mês agourento, comum entre pessoas, notadamente do interior, pode parecer bucólica, mas atire a primeira pedra quem nunca escutou dizer que sexta-feira 13 de Agosto é o dia mais azarado do ano. O motivo dessa fama não se sabe ao certo, mas lendas e mitos foram surgindo ao longo dos tempos.

O mês de Agosto, nome que homenageia um Imperador, ou mês do desgosto como chamam muitos, causa superstições nas pessoas, pois tem a fama de servir de palco de acontecimentos fatais, desastrosos, fatídicos. Não sou supersticioso, e não pactuo com essa crença, pois não vislumbro base científica para tal, mas foi no primeiro dia desse mês que estourou a Primeira Guerra Mundial no ano de 1914; Em 1934 Hitler ascendeu como o Fuher da Alemanha; Getúlio Vargas suicidou-se; Juscelino Kubitschek morreu num acidente de automóvel em 1976; o candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, morreu em um acidente aéreo em Santos, etc.

Sem omitir que o processo de Impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff iniciou-se em Dezembro de 2015, e o golpe deu-se em Agosto de 2016, resultando na cassação do seu mandato.E ainda falando em desgosto, Temer está no poder.

Os mais antigos dizem que quando caem as folhas, levadas pelo vento de Agosto, muita gente aproveita e vai embora junto. Não comungo com esse adágio, pois prefiro enunciar que Agosto é o mês do folclore, além de ter o Dia do Pendura ou Dia do Advogado; tem o Dia dos Pais, tem até o Dia do Psicólogo, mestre das mentes, que ocorre no término do mês.

Espero viver e fazer muita coisa boa durante cada mês de Agosto. Quero escrever, conversar com as palavras e cumprimentar o meu vizinho ou quaisquer outras pessoas que esbarrar pelo caminho. O mês de Agosto pode marcar positivamente a vida de qualquer pessoa. E espero que isto, verdadeiramente, aconteça comigo e com você.

você pode gostar também Mais do autor