Solidariedade lança campanha ‘Não desperdice seu voto’ contra abstenções e votos inválidos

O Solidariedade na Paraíba lançou uma campanha ‘Não desperdice seu voto’, para que os eleitores não anulem suas escolhas e compareçamàs urnas em outubro. O partido é presidido no estado pelo deputado estadual Bruno Cunha Lima. Em 2014, no segundo turno das eleições para governador, o total de votos nulos e brancos e de abstenções na Paraíba chegou a 24,5%, segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Para Bruno, o objetivoda campanha é conscientizar a população para a importância do voto consciente, como algo que vai além de uma obrigação. “O número de eleitores que se abstém do processo de votação ou que simplesmente escolhem votar em branco ou nulo é uma crescente a cada eleição em todo país. Diante desta realidade o partido encontrou na campanha ‘Não desperdice seu voto’ uma oportunidade para mostrar aos paraibanos que votar em branco, nulo ou não comparecer às urnas no dia das eleições não vai modificar o cenário político do nosso território brasileiro”, explicou.

Conforme os dados do TRE, o número de abstenções na Paraíba no segundo turno das eleições de 2014 teve um aumento de 9.948 pessoas em relação ao primeiro turno. Isso significa que a quantidade de pessoas que ignoraram os candidatos e preferiram nem ir às urnas para dar um voto, nem que fosse branco ou nulo, representou 18% do eleitorado do Estado. Naquele ano, 2.834.880 eleitores estavam aptos a votar.

“Não podemos permitir que esse nestas eleições esse número cresça. Vamos trabalhar mostrando não só as propostas que temos, mas também, conscientizando os paraibanos para relevância que eles possuem no cenário político do nosso Estado. Afinal, é o voto de cada um que escolhe que serão os representantes da Paraíba. Precisamos mostrar o poder que o povo tem em mãos”, afirmou Bruno.

No Brasil–O número de eleitores que se abstiveram ou optaram por votar em branco ou nulo nas eleições presidenciais de 2014 também cresceu e foi o maior número desde as eleições de 1998. Esse total chegou a 27%, segundo os números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A soma cresceu por conta de altas nos três indicadores. A taxa de abstenção vem crescendo nas últimas três eleições. Este número chegou a 21,47% em 1998, caiu para 17,74% em 2002 e para 16,75% em 2006. Depois, voltou a subir, passando a 18,12% em 2010 e 19,39% em 2014. Brancos e nulos somaram 8% e 10,6% em 1998, respectivamente. Esses números foram para 3,03% e 7,36% em 2002; 2,73% e 5,68% em 2006; 2,56% e 5,51% em 2010; e, neste ano, voltaram a subir, para 3,84% e 5,8%.

você pode gostar também Mais do autor