Em debate na TV, Raoni Mendes mostra preparo e apresenta propostas para a cidade

O pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Raoni Mendes (DEM), participou, na noite desta quinta-feira (17), do primeiro debate para as eleições deste ano realizado pela TV Arapuan. Durante o programa, Raoni apresentou propostas e ideias para a o desenvolvimento da Capital.  O democrata debateu temas como obras, maior atenção à saúde básica, educação, segurança pública, investimentos na infraestrutura e na mobilidade urbana.

Raoni chegou ao local do debate acompanhado da esposa Millena Andrade Diniz Mendes. Ele mostrou preparo e disposição para assumir a gestão municipal, discutiu os problemas vivenciados pelos pessoenses e apresentou propostas para melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. “Nós queremos transformar esse modelo velho de gestão e fazer João Pessoa funcionar com transparência e excelência. Temos problemas que precisam ser devidamente resolvidos”, ressaltou.

O democrata disse que vai priorizar a Saúde. “Os pessoenses estão pagando impostos em troca de péssimos atendimentos. É um absurdo o que acontece na saúde de João Pessoa. A tecnologia precisa estar a serviço da saúde da população. São R$ 800 milhões de reais. Valor maior, inclusive, que todo o Orçamento da cidade de Campina Grande Na Saúde vamos ter uma otimização desse serviço”, disse.

Ele também apresentou proposta para a Barreira do Cabo Branco e criticou a atual gestão pelo descaso. “Nosso amado ponto histórico, geográfico e ambiental foi completamente negligenciado. Sem falar no abandono da Estação Ciência. Temos um grande projeto para a esquecida Barreira do Cabo Branco. É o Parque Extremo Oriental, que vai desde a barreira até o Centro de Convenções. Acredito que a saída econômica para a cidade é o turismo, e nós vamos cuidar”, destacou Raoni Mendes.

O pré-candidato ressaltou a importância em priorizar os bairros carentes da Capital. “Nos 68 bairros de João Pessoa, precisamos estar atentos a uma realidade: apesar da prefeitura ter o cadastro de todos os entes e CNPJ de cada comércio, não consegue chegar na ponta com recursos concretos. Nas comunidades de extrema pobreza, o básico não tem chegado”, afirmou Raoni.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.