CRISE ALIMENTAR NO IMPÉRIO DO DENDÊ – Leia o novo artigo de Marcos Thomaz

Essa Pandemia bagunçou toda a nossa pobre rotina…

Restrição a circulação, quarentena, isolamento social, shows proibidos, jogos sem torcida, pessoas circulando de máscara, ausência total de contato físico, inimigo invisível, nota de 200 reais, cloroquina, ivermectina, ozônio por cima, ozônio por baixo etc e tal…

Mas amigos, se a pandemia não era previsível, essas conseqüências dela, após estabelecida, fazem parte do previsível, da normalidade, aliás, desse tal “novo normal”…

Mas seguindo a máxima: “pense num absurdo, na Bahia tem precedente” (frase atribuída ao ex-governador Otávio Mangabeira),, é que encontramos o real desatino nacional…

Além de todas estas graves questões comuns a todos e todas as localidades, na Boa Terra estão extrapolando a dose de caos!!

Cancelar carnaval?? Ok! Horário limitado para “cumê água”? É, fazer o quê?? Farofada na praia proibida, vá lá…

Mas o que não é concebível, sob hipótese alguma, é faltar dendê, o elixir mágico de tudo quanto é comida baiana!!

Pois muito bem, digo pois muito mal, péssimo… a “coisa empenou” e o óleo mágico de 11 em cada 10 pratos baianos está em vias de extinção (pelo menos temporariamente).

Produtores alegam que a safra foi abaixo da expectativa e há sério, real risco de completa ausência de óleo de dendê ainda este ano (já está sendo comercializado em alguns lugares por um valor 80% superior ao original)…

Para se entender a gravidade do momento, os relatos dão conta de que não haveria mais estoque entre produtores na famosa Costa do Dendê baiano, apenas em estoques próprios dos comerciantes e distribuidores…

Logo, é provável que tenhamos 3, 4 meses sem moqueca, sem bobó, sem acarajé!?!?! Pelo menos até dezembro, quando chegará nova safra…

É o “apocalipse now” na terrinha!

Já prevejo crises de abstinência, mau estar coletivo, choro, ranger de dentes, saques, atentados, protestos contra bolinhos fritos no óleo de soja (argh)…

Uma desordem generalizada pela falta do alimento básico de todo baiano! Crises de inanição…

Há quem ria, mas a bagaça é séria, cenário desolador, clima de terra arrasada…

Nem vou espalhar que aqui na boa Paraíba tenho meus dois litrinhos de dendê, que não libero nem sob tortura!!

E tenho dito…

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.