Lucas de Brito cobra fiscalização de postos para repasse da redução do GNV

O vereador Lucas de Brito (PV) comemorou, na manhã de hoje, a iniciativa da Companhia Paraibana de Gás (PBGÁS) de reduzir a tarifa do Gás Natural Veicular (GNV) em 16,9%, com validade a partir de 1° de agosto, e cobrou do PROCON/JP a fiscalização dos postos de combustíveis, para que a diminuição do preço efetivamente alcance os consumidores. “Há muito tempo esperávamos essa redução. Agora é chegado o momento de fiscalizar, para que ela chegue até o destinatário final, que é o cidadão. A expectativa da própria PBGÁS é de que haja um barateamento do metro cúbico do GNV em R$ 0,29 (vinte e nove centavos). Estaremos vigilantes!”, enfatizou o parlamentar.

Lucas de Brito relembrou o histórico de lutas relacionadas à redução do preço do GNV. Entre setembro e novembro de 2018, o parlamentar aprovou requerimentos na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) pedindo informações da PBGÁS que justificassem a diferença em mais de R$ 1,00 (um real) por metro cúbico de GNV entre o preço praticado na Paraíba e o que estava em vigência no vizinho Estado de Pernambuco.

O vereador também participou, no dia 14 de novembro de 2018, de protesto realizado na frente do órgão. Na ocasião, os protestantes encontraram a repartição de portas fechadas e não foram atendidos pelos gestores. Em janeiro de 2019, conforme dados veiculados pela Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, o GNV comercializado na Paraíba era o mais caro do Brasil.

“A indiferença das autoridades estaduais não nos desanimou. Na Paraíba, existem mais de 40.000 (quarenta mil) veículos convertidos ao GNV, a maioria deles em João Pessoa. Os preços proibitivos que a PBGÁS praticava desestimularam novas conversões. Muitas convertedoras fecharam as portas e encerraram as suas atividades. A manutenção dos automóveis convertidos passou a ser feita por empresas não credenciadas, clandestinas mesmo. Essa situação causava grande risco à vida não apenas dos motoristas, mas também da população paraibana em geral”, registrou Lucas de Brito.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.