ASSISTA: Veneziano faz visita à Vila Olímpica Plínio Lemos e mostra o abandono e o desprezo da Prefeitura com o local

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) aproveitou o domingo para fazer um passeio de bicicleta pela cidade. Devidamente protegido, usando máscara, ele foi sozinho a alguns pontos da cidade e evitou aglomerações. Veneziano resolveu ir à Vila Olímpica Plínio Lemos para ver pessoalmente o que muitos já viram: o estágio de abandono e de desprezo por parte da Prefeitura em relação ao local.

Veneziano gravou vídeos que publicou em suas redes sociais mostrando o total abandono da Vila Olímpica, uma obra que teve um investimento de quase R$ 10 milhões para beneficiar a população do setor leste da cidade, com diversos equipamentos esportivos. Hoje, lamentavelmente, encontra-se em situação deplorável.

Veneziano iniciou sua visita à Vila Olímpica mostrando o abandono do Memorial do Esporte, que foi saqueado e está completamente destruído. Depois, mostrou as arquibancadas, que estão sem teto e onde o mato tomou conta de tudo. O campo de futebol também está tomando pelo mato, sem a possibilidade de prática de futebol.

Do lado oposto ao da entrada principal, Veneziano mostrou o desprezo com a pista de skate e os equipamentos da academia popular, totalmente danificados e enferrujados, sem condição de uso. Contornando mais um pouco, ele mostrou a piscina, abandonada, servindo apenas de criadouro para mosquitos; e o abandono do Ginásio de Esportes Joselito Pereira de Lucena, também abandonado e com tudo quebrado.

 

Veneziano finalizou a visita mostrando algo que é mais estarrecedor ainda: uma placa indicativa de obra, na entrada da Vila Olímpica, mostra o que seria uma reforma executada pela Prefeitura para ser entregue em 26 de julho de 2018, num investimento de 382.531,00, mas que nunca ocorreu e, até hoje, não se sabe o que foi feito do dinheiro, transferido pelo Governo Federal para os cofres da PMCG.

O que era a Vila Olímpica – Veneziano presenteou Campina Grande com um dos melhores equipamentos esportivos do Norte e Nordeste do Brasil, à época: a Vila Olímpica Plínio Lemos, um completo, moderno e eficiente complexo esportivo com quadra de areia; ginásio poliesportivo; piscina coberta, adaptada para portadores de necessidades especiais; salas de dança, ginástica e artes marciais; campo de futebol; pista de atletismo; área de lazer, Memorial do Esporte e núcleo do programa Campina Bem Estar, além de um restaurante popular e um núcleo do Programa Saúde da Família – PSF integrados.

Com investimento de quase R$ 10 milhões, com recursos próprios, a Vila Olímpica mudou a vida dos moradores da região leste, transformando um espaço antes abandonado em uma grande iniciativa de inclusão e desenvolvimento social, através da implantação de programas de educação esportiva. Eram oferecidas 15 modalidades, beneficiando mais de 2 mil crianças, jovens e adultos campinenses.

Antes prometida em projetos de maquetes que mudavam de nome, mas não saíam do papel, a Vila Olímpica foi mais um compromisso de campanha cumprido por Veneziano em sua gestão como prefeito.

Segunda Vila Olímpica – No último ano da gestão, Veneziano também iniciou as obras da segunda Vila Olímpica, no bairro das Malvinas, entre as ruas Jamila Abraão Jorge e Jabuticabeiras, no antigo campo do Guarany, uma ação que teve a participação direta do então Senador Vital do Rêgo, que direcionou os recursos necessários para a concretização da obra. Porém, a atual administração resolveu não edificar a obra, mudou o projeto e construiu apenas uma praça, onde seria a segunda Vila Olímpica da cidade.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.