23 C
João Pessoa
26/02/2021
Início Temas em Pauta O JULGAMENTO

O JULGAMENTO

Demétrius Faustino

Sempre que se inicia um novo ano, é natural de quem utiliza sinais para exprimir as idéias humanas (escrever, pesquisar, relatar informações e outros tais), contextualizar nessas grafias ou até através da voz, estatísticas do tipo: número de acidentes ocorridos em nossas rodovias no ano anterior, quadro demonstrativo sobre a violência, resultados das pesquisas eleitorais mais recentes, etc.

Entretanto, o início do ano de 2018 tem sido diferente dos outros pelo que tenho lido e ouvido. Explico melhor: Só se fala no julgamento do processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os critérios que serão utilizados nessa histórica sessão aprazada para 24 de Janeiro.

Particularmente, vislumbro, indubitavelmente, a condução de um processo de politização nesse julgamento, caracterizando-se como diria o colunista do Jornal do Brasil Marcus Lanoni, numa ação de populismo jurídico emergente.

De fato, não há critérios de racionalização técnica, pois, compete ao ordenamento jurídico apurar e se for o caso punir os infratores da lei, mas não lhe compete afirmar coisas do tipo “vou passar o país a limpo”, ou “vamos inaugurar uma nova etapa da história do Brasil”.

Basta dizer que o Procurador Federal Deltan Martinazzo Dallagnol declarou, e todo mundo tomou conhecimento, que Lula deverá ser preso após a ratificação da sua condenação pela Corte Recursal; e pelas redes sociais, a chefe de gabinete da Presidência do TRF-4, milita pela prisão de Lula, evidenciando-se cristalinamente o caráter político do processo. 

Aliás, diga-se de passagem, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, ao marcar de forma afobada a data do julgamento do ex-presidente Lula para o dia 24 do mês de Janeiro, não deixou cair por terra, mas deixou pendentes sete ações da Lava Jato, cujos recursos chegaram à corte antes, a exemplo do processo do pecuarista José Carlos Bumlai. 

Além desses sete processos, outros dois chegaram ao TRF4 depois dessa pendenga contra o ex-presidente, como ao relacionado ao ex-ministro Antônio Palocci. Entre os nove, seis já estão com o juiz responsável pela pauta das datas dos julgamentos.

Informações ainda dão conta de que o relator do recurso de Lula, desembargador João Pedro Gebran Neto, é amigo íntimo do juiz Sergio Moro, cuja isenção funcional fica sob suspeita, se isso for verdade. E prá fechar o firo, o presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, que não é relator do recurso e nem compõe a Turma de julgamento do caso, elogiou a sentença condenatória, ferindo assim, com esse posicionamento, a Lei Orgânica da Magistratura, por se tratar de processo em tramitação. Daí a pergunta que não quer calar: Por anda a imparcialidade?

De acordo com apontamentos de diversos juristas e criminalistas, há flagrantes indícios de politização indevida do Judiciário no processo do ex-presidente, destacando-se: a condenação do ex-presidente por corrupção passiva, não associada a ato de ofício; a não-comprovação de que ele possuía o triplex; o reconhecimento do Juiz Sérgio Moro, por escrito, em resposta a uma petição de Embargos de Declaração da defesa, de que o réu não se beneficiou de vantagem indevida com os recursos da Petrobras desviados pela OAS; a velocidade na tramitação da ação e o agendamento do recurso no TRF-4 compassado ao Calendário Eleitoral, ambos desviando-se da média temporal de procedimentos técnicos afins.

Um dos juristas de maior reconhecimento no mundo, o Luigi Ferrajoli, denunciou de forma dura no Parlamento italiano, os métodos da Operação Lava Jato capitaneada pelo Juiz Federal Sérgio Moro como um processo de perseguição e espetacularização midiática. E sustentou ainda, que a Operação tem servido como instrumento para inviabilizar o ex-presidente politicamente com vistas a eleição de 2018.

Enfim, o fato é que o julgamento de Lula está inserido nesse cenário político polarizado.

Espero estar equivocado, e que irão fazer JUSTIÇA.

João Pessoa, Janeiro de 2018.

Auto Pauta
Auto Pauta
A coluna AUTO PAUTA é assinada por GEORGE MEDEIROS - jornalista e radialista profissional, bacharel em comunicação social pela Universidade Federal da Paraíba. Atua em rádio, assessoria de imprensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Famup defende volta do auxílio emergencial, mas não concorda que dinheiro seja retirado da educação

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) defendeu junto a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) a volta do pagamento do auxílio emergencial...

Prefeitura adota revezamento para servidores e garante prestação dos serviços à população

O Centro Administrativo Municipal de João Pessoa (CAM) está com seu funcionamento alterado até o próximo dia 10 de março, período determinado pelo decreto...

Nesta quinta: Prefeitura de João Pessoa inaugura Centro de Atendimento Covid-19

A Prefeitura de João Pessoa vai inaugurar, às 8h desta quinta-feira (25), o Centro de Atendimento Covid-19, no Ginásio Hermes Taurino, em Mangabeira. O...

Irmãos são presos suspeitos de tentativa de homicídio contra vice-prefeito de Monteiro

Dois irmãos, de 18 e 19 anos, foram presos suspeitos de participar da tentativa de homicídio contra o vice-prefeito de Monteiro, Celecileno Alves Bispo....