27 C
João Pessoa
27/01/2021
Início Política Centrais sindicais definem calendário de luta contra reforma da Previdência

Centrais sindicais definem calendário de luta contra reforma da Previdência

Em reunião realizada nesta sexta-feira (8), na capital paulista, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), juntamente com as demais centrais sindicais, definiram o calendário de luta e mobilização contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, da reforma da Previdência.

Para o presidente da CSB, Antonio Neto, está é a hora dos movimentos sindicais e dos trabalhadores se unirem para barrar está reforma, que é uma afronta aos brasileiros.

“O movimento sindical vai utilizar todas as suas forças para barrar mais este crime contra os trabalhadores brasileiros, que é esta reforma da Previdência, que busca penalizar apenas os mais pobres e manter a drenagem de recursos para os grandes empresários, para empresas estrangeiras e para os grandes conglomerados rurais. Exemplo disso é a isenção de R$ 1 trilhão concedidas aos petroleiros. O que eles querem é aumentar a idade da aposentadoria e cortar o salário dos aposentados”, disse Neto.

Com a possibilidade eminente de o governo votar a reforma no próximo dia 18 de dezembro, os dirigentes das Centrais deliberaram plenária do setor dos transportes, nesta segunda-feira (11), para organização uma provável paralisação para o dia da votação.

Os dirigentes sindicais das seis centrais continuarão realizando campanha corpo a corpo com deputados no Congresso Nacional e nos aeroportos de todo País.

As entidades também julgam importante que os brasileiros expressem sua indignação enviando e-mail para os parlamentares e não votando em deputados e senadores que se posicionam a favor de cortes nos direitos dos trabalhadores.

Com o slogan “Se botar para votar o Brasil vai parar”, as centrais convocarão greve nacional no dia de votação da reforma e estabeleceram o dia 13 de dezembro como Dia Nacional de Luta contra a reforma.

Foi definido a elaboração de panfletos e ações nas redes social, além esclarecimento dos riscos da reforma da previdência com a população.

Além das centrais sindicais, os movimentos sociais e estudantis também estão empenhados pelo não votação da PEC 287.

 

FONTE: Portal CSB

Auto Pauta
Auto Pauta
A coluna AUTO PAUTA é assinada por GEORGE MEDEIROS - jornalista e radialista profissional, bacharel em comunicação social pela Universidade Federal da Paraíba. Atua em rádio, assessoria de imprensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Lidas

Pedro Cunha Lima pede à disposição funcionária da PMCG com ônus para o município; entenda

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), que também é filho do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB), fez uso ontem (26), de suas redes...

Tatiana Medeiros formaliza denúncia de “fura-filas” na vacina contra Covid-19 em CG

A fila da vacina contra a covid-19 teria sido furada por pessoas que não estão nos grupos prioritários em Campina Grande, pelo fato de...
00:00:17

Pauta TV: Prefeito Cícero Lucena anuncia pagamento da folha salarial de janeiro em um único dia

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, anunciou, na manhã desta terça-feira (26), o pagamento dos salários referentes ao mês de janeiro a todos...

Motoristas de aplicativos na Capital anunciam paralisação dos serviços; entenda

Os motoristas de transportes privados e individuais (aplicativos) organizam um protesto para a próxima segunda-feira (1º), em João Pessoa. A concentração será às 9h,...