Governo realiza “Dia D” de combate à dengue em 130 municípios paraibanos

Uma ação em Campina Grande, nesta sexta-feira (6) pela manhã, na Praça da Bandeira, alertou a população sobre os cuidados com o mosquito Aedes Aegypti. Na ação o mosquito foi batizado com outro nome: Simone Gondim. A agente de combate à endemia (ACE) se fantasiou do inseto e virou a celebridade do “Dia D” de combate à dengue. Mas todo o glamour ficou na fantasia, porque na vida real o verdadeiro mosquito, diariamente, faz vítimas de dengue, zika e chicungunya e, diante da situação, até o mosquito de brincadeira fala sério: “Tome muito cuidado porque a próxima vítima pode ser você!”. O Dia D aconteceu em 130 municípios paraibanos.

Os discursos das autoridades durante a abertura do “Dia D” em Campina Grande tiveram o mesmo alerta: a população precisa fazer sua parte, mais do que nunca. “A maioria dos criadouros do mosquito está dentro das casas, daí a importância de cada um fazer a sua parte, organizando seus domicílios de forma que não fiquem atraentes para o Aedes”, disse a gerente de Vigilância em Saúde, da SES, Talita Lira.

“O poder público junto com a população formam um grande exército na luta contra o mosquito e as doenças que ele provoca”, declarou a gerente da 3ª Regional de Saúde, da SES, Joelma Greicy Fernandes.

“Que a população entenda a importância de participar desse processo de combate a um mosquito que só nos traz danos e até morte”, pontuou a gerente da Vigilância Ambiental, de Campina Grande, Rossandra Oliveira.

No que depender da dona de casa Maria Lindalva Prado, do sítio Jenipapo, o mosquito não chega nem perto. “Todo o lixo de casa eu boto dentro de um saco pra coleta levar; se tiver garrafa, boto de cabeça pra baixo; os pneus viram jarros de plantas e, toda vez, que vejo um lixo no chão, eu apanho”, falou.

A servidora pública Aparecida Pereira disse que também toma todas as medidas para evitar o mosquito Aedes, embora ao lado da casa, no bairro José Pinheiro, tenha um terreno baldio, cheio de lixo. “Mesmo com a minha casa toda organizada, já tive dengue várias vezes. Eu acho que é por conta deste terreno”, relatou.

O “Dia D” aconteceu em 130 municípios paraibanos. Em Campina Grande, ocorreu na Praça da Bandeira, onde foram disponibilizados testes rápidos de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs); de glicemia; aferição da pressão arterial e vacinação do sarampo para adulto, além de difteria e tétano.

Durante a ação, a Gerência de Vigilância Ambiental de Campina Grande distribuiu hipoclorito de sódio e piabas – peixes pequeninos que combatem as larvas dos mosquitos. Os Agentes de Combate às Endemias (ACE) entregaram panfletos com orientações de combate ao mosquito.

A ação de combate às arboviroses terá continuidade nas comunidades de alto índice do mosquito, durante todo o primeiro semestre de 2020, com mobilizações, palestras nas Unidades de Saúde; unidades escolares; clubes de mães e associações de moradores.

De acordo com o boletim epidemiológico nº 12, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgado nesta quinta-feira (05), de janeiro a novembro de 2019, foram registrados 17.560 casos prováveis de dengue. No ano passado, foram registrados 10.516 casos, ou seja, um aumento de 66,99%. Quanto à chikungunya, foram notificados 1.299 casos prováveis, contra 958 no ano passado, um aumento de 35,59%.  Da zika, foram 391 casos este ano e 364 em 2018, representando um aumento de 7,42%.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.