Parceria entre Governo e empresa oferta mais vagas de trabalho para reeducandos

Um grupo de reeducandos começou a trabalhar para uma empresa com sede no Estado da Bahia nesta segunda-feira (25). Os contratados irão atuar na construção de uma estação elevatória e, por este trabalho, receberão um salário de R$ 1.100,00, além de fardamento, equipamento de proteção individual, duas refeições diárias e transporte. Esta ação é resultado da política de reintegração social de reeducandos do sistema prisional executada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (Seap).

Para isso, o Governo do Estado, por meio da Seap, firmou parceria com a empresa baiana Conssol Construções e Saneamento Ltda na sexta-feira (22). O secretário Sérgio Fonseca parabenizou o empresário Itamar Sampaio pelo exemplo, que deve ser seguido por outras empresas. “É uma ação que o Governo do Estado, que a Seap tem abraçado, visando dar oportunidade a reeducandos que queiram se reintegrar à sociedade. Os senhores da Conssol são dignos de elogios por esse gesto, por acreditar na ressocialização de pessoas. O que a empresa está fazendo é algo muito louvável para esses jovens e para a sociedade”, ressaltou.

O secretário destacou que a oportunidade que o Governo do Estado e a empresa estão oferecendo aos jovens que assinaram o termo trará benefícios não somente a eles, mas a seus filhos, a suas famílias, à sociedade. “Esse é um projeto que está ajudando a vocês e que ajudará muita gente. Agarrem essa oportunidade que Deus está dando a vocês!”, enfatizou.

A gerente executiva de Ressocialização, Ziza Maia, afirmou que nesse ano de 2019 a política de reintegração social que o Governo do Estado vem executando tem registrado significativos avanços. “Nós conseguimos dialogar com diversas empresas de forma mais concreta e elas têm entendido a importância social da absorção desta mão de obra. Fechamos recentemente convênio com uma instituição privada,  e estamos às vésperas de fechar convênio com mais uma instituição para inicialmente ofertar 20 vagas de mão de obra, então é um resultado positivo de uma política de inserção que começa no interior das unidades prisionais, através da assistência educacional, e que continuamos com esse processo após a progressão de regime”, comentou. A Vara das Execuções Penais, do Poder Judiciário, é um dos parceiros da Seap.

Para o empresário da Conssol, Itamar Sampaio, ofertar postos de trabalho a reeducandos é algo novo para a empresa. “Estamos apostando muito na ressocialização; é algo que reintegra esses cidadãos à sociedade. Estaremos dando todo o suporte para que cada um desses jovens aprenda uma profissão e possa retornar ao mercado de trabalho”, afirmou. Itamar adiantou que novas vagas serão abertas em outra obra, também em parceria com o Governo do Estado.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.