CMJP integra comitiva da Paraíba que vai aos EUA em busca de atrair negócios para o estado

Uma comitiva formada por representantes dos Poderes Legislativos Municipal e Estadual, além da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), embarca para os Estados Unidos esta semana com o objetivo de atrair novos negócios que possam gerar emprego e renda no estado. O destino é Los Angeles, na Califórnia.

“A ideia surgiu após a TV Câmara de João Pessoa ter sido a primeira TV pública do país a ter um documentário selecionado para o Los Angeles Brazilian Film Festival (LABRFF), o mais importante festival de cinema brasileiro no exterior. A direção do festival propôs intermediar uma agenda política que pudesse beneficiar a nossa cidade e o nosso estado, já que a Prefeitura de João Pessoa também estará presente no festival, com uma parceria que está levando filmes paraibanos para Hollywood”, explica o presidente da Câmara, vereador João Corujinha (DC).

A direção do LABRFF estendeu o convite à Assembleia Legislativa da Paraíba, e já confirmou alguns compromissos, como reunião com a Brazil California Chamber of Commerce (Câmara de Comércio Brasil-Califórnia); painel de apresentação dos potenciais econômicos da Paraíba para um grupo de empreendedores; além de ter articulado, junto ao Ministério das Relações Exteriores, audiências com a Prefeitura e a Câmara de Los Angeles. “Estamos levando uma apresentação da nossa Capital em vídeos e dados, pontuando os potenciais econômicos. Também queremos propor à Prefeitura que possamos tornar Los Angeles e João Pessoa ‘cidades-irmãs’, como já acontece entre Los Angeles e Salvador, desde 1987. Estreitando essas relações, temos certeza que ambas as cidades só têm a ganhar economicamente”, afirma o vereador Bruno Farias (PPS), que integra a comitiva.

Outros três pontos serão explorados especificamente pelos representantes da CMJP: o intercâmbio cultural entre as cidades na área do audiovisual, já que Los Angeles é considerada a Capital Mundial do cinema, e a Câmara de João Pessoa tem vários projetos na área; o intercâmbio tecnológico com o Vale do Silício, localizado na Califórnia – referência mundial em Tecnologia da Informação e na criação de startups – podendo somar ao projeto da Extremotec, que tem gerado emprego e renda em João Pessoa; além do conhecimento dos projetos de mobilidade urbana desenvolvidos em Los Angeles.

Além da agenda política, os representantes dos poderes devem acompanhar a exibição do documentário “Essência”, da TV Câmara de João Pessoa, que foi lançado recentemente na Sala de Cinema Aruanda, na UFPB, e está sendo exibido pela emissora. No LABRFF, a sessão do “Essência” será na quarta-feira (16), no Monica Film Center, em Santa Mônica. “Além de toda cobertura institucional, nós produzimos outros conteúdos também voltados à promoção de cidadania e educação. Temos alcançado destaque nacional com esses projetos, como é o caso do programa ‘Pílulas do Conhecimento’, que passou a ser usado por Câmaras de outros estados do Brasil e foi reconhecido, em São Paulo, como um caso de sucesso dentro da Rede Legislativa de Rádio e TV. Agora, com muito orgulho, somos a primeira TV pública do país a ter uma produção selecionada para o LABRFF. Isso é o reconhecimento do trabalho de toda equipe e resultado do incentivo e confiança por parte dos vereadores de João Pessoa. Estamos muito felizes e estimulados a continuar produzindo cada vez mais”, comenta o Secretário de Comunicação da CMJP, Lael Arruda.

A Paraíba ainda está representada por outros cinco filmes. Quatro deles compõem a Mostra de Cinema Walfredo Rodriguez, que acontecerá dentro do festival, fruto de uma parceria entre a Prefeitura de João Pessoa e o LABRFF. Os selecionados foram: “Rebento”, de André Morais; “Bodas de Aruanda”, de Chico Sales; “Crua”, de Diego Lima; e “Deus não acredita em máquinas”, de Ely Marques. O último representante paraibano é o documentário “O Grande Amor de um Lobo”, do cineasta Kennel Rógis.

Sinopse “Essência”

A falta de empatia entre os seres humanos é causadora dos mais variados conflitos pelo mundo. Mas é possível mudar o olhar sobre as diferenças e conseguir o respeito mútuo quando identificamos nas outras pessoas sentimentos e desejos que também são nossos, por mais diferentes que elas sejam de nós. O que têm em comum um índio potiguara, um homem trans, uma professora de história, uma cantora de forró e um vendedor ambulante? A essência humana. A busca por evolução durante essa viagem chamada vida. Histórias cheias de sorrisos, lágrimas e muita dignidade, que despertarão o sentimento de que todos nós somos um só.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.