Na Paraíba, déficit da Previdência já acumula R$ 564.45 milhões

A Paraíba Previdência (PBPrev) apresentou um déficit de fundo financeiro de R$ 564.45 milhões. Este valor é o acumulado do ano, segundo o presidente da PBPrev, Yuri Simpson Lobato, que criticou a possibilidade de que estados e municípios fiquem de fora do proposta da Reforma da Previdência em tramitação no Congresso Nacional.  “Medida muito ruim e que enfraquece mais ainda a proposta de Reforma da Previdência”, afirmou.

A tese de que estados e municípios sejam retirados da reforma previdenciária foi levantada pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, nesta quarta-feira (12), um dia antes da apresentação do relatório pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Segundo o blog de Gerson Camarotti, o relator também teria informado em reunião com líderes de partido que vai excluir do relatório estados e municípios. Maia, entretanto, não descarta que eles sejam reincluídos se houver acordo com os governadores sobre o texto.

Para Yuri Simpson, essas declarações às vésperas da apresentação do relatório da Previdência servem apenas para pressionar os chefes de estado, sobretudo os dos Nordeste que já declararam formalmente que não apoiam a reforma previdenciária como atualmente está posta pelo governo Bolsonaro. A decisão foi, inclusive, reiterada pela vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) no V Fórum de Governadores realizado em Brasília, nesta terça-feira (11).

“Vejo apenas como forma de tentar pressionar os governadores para aumentar apoio à proposta inicial da reforma”, comentou o presidente da PBPrev. Para Yuri Simpson, a reforma vai reduzir um pouco o crescimento do déficit, “mas não mexe em nada no déficit já existente que é muito grave já”, completou.

“Rombo” bilionário

A previsão é a de que até 2023 a Paraíba acumule um déficit de R$ 10 bilhões. Esta é a projeção apresentada na proposta de Lei das Diretrizes Orçamentária (LDO), relativa ao exercício 2020, que tramita na Assembleia Legislativa da Paraíba.

Calendário da Reforma

Segundo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, a proposta de Reforma da Previdência deve analisada pelo Plenário a partir da primeira semana de julho. Depois da apresentação do parecer do deputado Samuel Moreira, a comissão especial dá início à discussão do texto, mesmo com obstrução da oposição. A previsão, segundo Maia, é que o colegiado comece a votar o relatório de Moreira no dia 25 de junho e só na semana seguinte siga para o Plenário. Jornal da Paraíba

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.