João Azevêdo abre Fórum do Confap que discute Ciência, Tecnologia e Inovação

O governador João Azevêdo abriu, nesta quinta-feira (6), no auditório do Sebrae, em João Pessoa, o Fórum Nacional do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), que tem o objetivo de discutir oportunidades de parcerias em pesquisa e inovação e de buscar soluções para superar as dificuldades financeiras na área. Na ocasião, o gestor também assinou o edital de chamada pública do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores – Programa Centelha PB, que visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias e disseminar a cultura do empreendedorismo. O termo de convênio prevê investimentos de aproximadamente R$ 1,7 milhão, sendo R$ 570 mil de contrapartida do Estado.

O evento ainda reuniu integrantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTIC), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Frente Parlamentar em Defesa da Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa da Paraíba e autoridades da área acadêmica e científica.

Na oportunidade, o chefe do Executivo evidenciou o potencial da Paraíba na área da Ciência, Tecnologia e Inovação e ressaltou a satisfação do Estado de sediar o evento. “Nós sabemos que um Encontro como esse fortalece a produção científica, por isso que integramos a pasta da Ciência e Tecnologia e a Fapesq à Secretaria de Educação com o propósito de fortalecer esse segmento tão importante”, explicou.

Ele também destacou que a gestão estadual tem trabalhado para melhorar a qualidade do ensino Fundamental e Médio e ampliado programas como o Gira Mundo para alunos e professores e a oferta de Escolas Cidadãs Integrais. “Esse conjunto de ações tem mudado o perfil dos estudantes que passaram a ter um projeto de vida associado à grade curricular, o que tem feito uma diferença significativa porque estamos estimulando o avanço da educação”, pontuou.

O gestor ainda lembrou que o Ensino Superior está presente em todas as regiões da Paraíba, com quase 40 Instituições, o que viabiliza o desenvolvimento regional, e reforçou o apelo ao Governo Federal contra o contingenciamento de recursos nas Universidades e Institutos Federais. “Nós sabemos da consequência que isso pode provocar no funcionamento das instituições; a educação deve ser vista com seriedade e temos que fazer com que ela seja respeitada no país”, sustentou.

O secretário executivo da Ciência e Tecnologia, Claudio Furtado, afirmou que o Fórum do Confap é uma oportunidade de melhorar a interação entre as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa do país. “Nós vamos poder discutir investimentos em pesquisas num momento em que a Ciência passa por cortes no Brasil, mas a Paraíba tem cumprido o dever de casa, colhendo os frutos de todos os investimentos feitos na área, a exemplo do programa Centelha”, disse.

O presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq), Roberto Germano, enalteceu a sensibilidade do Governo do Estado de fomentar a Ciência, Tecnologia e Inovação. “A gestão construiu um arranjo institucional de sucesso e hoje temos um cenário alvissareiro que resultou em investimentos de mais de R$ 31 milhões em 100 dias de Governo, o que faz da Paraíba um case para todo o Brasil”, comentou.

O presidente do Confap, Evaldo Vilela, lembrou que as Fundações de Amparo à Pesquisa estão presentes em todos os Estados do país e têm como meta contribuir com a melhoria da qualidade de vida de toda a sociedade. “Nós temos um direcionamento a partir da crise de que todo conhecimento e pesquisa devem ser revertidos para a população, e a ciência pode melhorar a saúde, a agricultura e as Ciências Sociais”, observou.

O secretário de Políticas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTIC, Marcelo Morales, afirmou que o evento sediado em João Pessoa mostra a pujança da Ciência no Nordeste. “Nós temos que incentivar a pesquisa na Região e em todas as partes do país e estimular a aptidão regional em Ciência e Tecnologia porque temos vários pesquisadores de ponta que precisam ser incentivados. A Paraíba é um campo fértil nas áreas da saúde, interações internacionais e tem sido um Polo importante e exemplar no envio de pesquisadores para Israel e outras partes do mundo”, declarou.

O gerente do Departamento de Fomento e Interação entre Ciências Aplicadas e Inovação da Finep, Marcelo Nicolas, destacou o diferencial da Paraíba na área da pesquisa. “O Estado vem empreendendo nos últimos anos muitos esforços e se destacando no Nordeste com a consolidação de estudos em Ciência, Tecnologia e Inovação. Nós temos o exemplo do Polo de Campina Grande e do Parque Tecnológico da Paraíba, enfim, as iniciativas são muito promissoras”, frisou.

O presidente do CNPq, João Luiz Azevedo, disse que as FAPs têm cumprido o papel de desenvolver o país. “Esses órgãos dão capilaridade para o desenvolvimento de trabalhos voltados para a Ciência, Tecnologia e Inovação”, falou.

O Fórum do Confap prossegue até esta sexta-feira (7), em João Pessoa, com palestras, mesas redondas e workshops.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.