O BELO É A BOLA DA VEZ!! Novo artigo de Marcos Thomaz; confira

 

Cheguei em João Pessoa há exatos 20 anos.Como apaixonado por futebol, nesse processo de ambientação cultural e exploração geográfica da minha, então nova morada, um dos fatores que me chamava bastante atenção nos primeiros anos aqui era a escassez de referências aos times locais. Espantava-me o fato de quase não encontrar camisas, adesivos, ou exposição dos símbolos dos times de futebol da capital, em especial o Botafogo da Paraíba, maior campeão estadual e anunciado como detentor da maior torcida na cidade…

À época a fama de João Pessoa como uma das capitais nordestinas com menos identificação entre “povo” e clubes locais fazia sentido e se desenhava nas ruas, “a olho nu”. Em passeios tradicionais pela orla, visitas a centros populares como o mercado Público de Mangabeira, ou da Torre, resolução de compromissos na Lagoa, trânsito dentro de ônibus pela Integração, ou qualquer outro ponto da cidade, se contava nos dedos qualquer referência as agremiações da cidade.

Diante desse quadro, confesso que,muito a contragosto, era inevitável se render efazer coro aos maledicentes que detratavam e reduziam a pó a representatividade do futebol local. Eram tempos de surgimento da campanha “Nordestino de coração torce para o time da sua região” e, em paralelo, cresciam também extremismos que desembocavam em tratamentos agressivos como o termo “Paraibaca”, difundido em especial por pernambucanos, que somam um contingente grande em João Pessoa, dada a proximidade geográfica…

Pois bem, passada essa sensação inicial comecei a analisar os fatos sob outra ótica, apesar de ainda achar desproporcional a acachapante predominância de torcedores de times cariocas e paulistas por aqui (mas isso é tema para uma dissertação ou boas doses em acalorada discussão de mesa de bar)…

Durante boa parte do começo deste século os torcedores do Botafogo-PBviveram a míngua, relegados ao ocaso. Para ilustrar essa situação aparentemente falimentar basta lembrar que durante 6 longos e implacáveis anos, por exemplo,o time da Maravilha do Contorno sequer teve atividade profissional no segundo semestre, pois as campanhas pífias no estadual não eram suficientes para garantir vaga em alguma competição nacional. Restavam assim Copa Paraíba e afins… A isso se somava um jejum de títulos estaduais, que se estendeu por 10 anos, uma década inteira de seca.  Nesta perspectiva, fica difícil sustentar paixão de qualquer torcedor!

Mas vejam só, quis a ironia do destino e os deuses da bola que a redenção viesse em grande estilo!!Já em 2013, além da reconquista do campeonato estadual, nesse primeiro ano do Belo em retorno a alguma competição organizada pela CBF no segundo semestre, veio o inédito título nacional do clube e da Paraíba em toda a sua história: Botafogo, campeão da Série D, a novata quarta divisão do futebol brasileiro.E tudo isso acontecendo de maneira simultânea a um resgate do torcedor e captura de novos adeptos a sua torcida. Lembro-me bem, que tal qual me espantei com o deserto de torcedores de outrora, contagiava-me, á época, o orgulho estampado na pele, nos carros etc pelas cores e símbolos do Botafogo. Aquela velha máxima: o time inflamando a torcida e a torcida empurrando o time.

O fato é que, com esse feito, o Botafogo da Paraíba começou apavimentar um novo caminho para seu futuro no futebol local, regional e nacional. Em um olhar objetivo, é fácil situar o time pessoense, no mínimo, entre os 3 clubes nordestinos com maior salto, ascensão e regularidade na década! A priori, essa afirmação pode ser recebida com incredulidade ou mesmo desdém… Mas o fato é: qual time da região cresceu tanto no período, mudou de patamar dessa forma, ou temapresentado estabilidade tão longeva quanto o alvinegro da estrela vermelha da capital paraibana?? Podemos citar o CSA, que de maneira inédita no país conseguiu 3 acessos de divisão seguidos e hoje figura na série A, ou mesmo o Fortaleza, que após longos e dolorosos anos na série C, também retornou a primeira divisão de maneira brilhante, com títuloda segunda divisão!! Mas quem mais ascendeu de maneira tão vertiginosa no futebol nordestino??

Desde o título nacional, o Botafogo da Paraíba retomou a hegemonia estadual (4 títulos em 6 edições), esteve em duas ocasiões muito perto de conseguir acesso a Série B e, atualmente, após repetidos anos eliminado na primeira fase, já está antecipadamente classificado no Nordestão e Paraibano (com a maior pontuação dentre todos os participantes em ambas competições) eainda permanece vivo na terceira fase da Copa do Brasil!!

Que a sintonia entre a arquibancada e o campo perdure e o Xerife se imponha de fato, além das divisas paraibanas, pois como brada a sua torcida: “Respeite a Autoridade”!

 

 

 

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.