Em Santa Rita, prefeitura reduz proliferação do mosquito Aedes aegypti

A coleta de lixo urbano impacta diretamente sobre a incidência do Aedes aegypti. É o que afirma o setor de Vigilância Epidemiológica municipal de Santa Rita, que observou a redução dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito no município após o plano emergencial implantado em janeiro de 2017, quando a cidade sofria há meses sem o recolhimento dos resíduos.

Segundo dados divulgados pela prefeitura, em janeiro de 2017 houve 946 casos de dengue e o número caiu para 198 em dezembro de 2018. A chikungunya, também transmitida através do Aedes, teve a redução significativa de 285 para nove casos no mesmo período.

Somada aos cuidados dos próprios usuários, a coleta de lixo de forma eficiente e regular é uma das principais medidas sanitárias de prevenção à proliferação de doenças. “As pessoas precisam ter hábitos que evitem os criadouros do mosquito, enquanto o poder público faz a sua parte com a coleta adequada”, alertou Vania Regina, da coordenação de Epidemiologia.

Além da normalização da coleta no município, a coordenadora destaca ainda o recolhimento de pneus inservíveis pela prefeitura. A ação foi implantada pelas vigilâncias Epidemiológica e Ambiental e já recolheu ao longo do período milhares de unidades nos diferentes bairros de Santa Rita. “São pneus que deixaram de ser depósitos de criadouros do mosquito transmissor de arboviroses para ter uma destinação correta e segura”, afirmou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.