Com 100% de cobertura na Capital, UPAs fazem mais de 28 mil atendimentos ao mês

Sofrendo de perda de movimentos na coluna cervical, o aposentado Roberto Cândido comemorou, em dezembro de 2016, a chegada de um serviço de urgência e emergência mais perto de casa, planejado e entregue para atender os moradores de seu bairro. Residente do Cristo Redentor, ele se tornou usuário da UPA Augusto Almeida Filho, em Cruz das Armas, à qual recorria em casos de crise. Antes disso, precisava procurar atendimento em bairros distantes, em busca de serviço semelhante.

A UPA Cruz das Armas, utilizada por Roberto Cândido, foi a segunda das três novas unidades entregues pela gestão municipal e que juntas à UPA Oceania garantem a cobertura de 100% da Capital para atendimento de urgência e emergência. Ao todo, as quatro UPAs de João Pessoa realizam uma média de 28,3 mil atendimentos por mês. As unidades garantem assistência pré-hospitalar 24 horas à população em casos de urgência e emergência em clínica geral e pediatria.

“Cada uma das unidades está preparada para dar suporte a 200 mil habitantes dos bairros em seu entorno. Hoje, com as unidades do Valentina, de Cruz das Armas, Bancários e Jardim Oceania garantimos esse atendimento para os 800 mil habitantes de João Pessoa”, explicou a gerente de Urgência e Emergência da Capital, Rafaela Marinho.

A construção das unidades trouxe um grande impacto para o atendimento da Capital. O primeiro deles foi o de encurtar as distâncias entre o usuário e o serviço, possibilitando um acesso mais rápido e mais cômodo para a população. Por outro lado, as novas unidades possibilitaram a redução do excesso de pacientes em uma UPA ou em hospitais, o que garante um atendimento mais rápido e de ainda mais qualidade para a população.

Roberto Cândido afirma que sua realidade mudou com a nova unidade. “Eu tenho perda de movimentos e era muito difícil procurar atendimento. Tinha que ir pra longe pegando Õnibus. Entregaram a UPA do Valentina e eu comecei a ir para lá, o atendimento era muito bom, mas a distância ainda era um problema. Agora tem a de Cruz das Armas e ficou ótimo. Ter o serviço perto de casa é outra coisa”, afirmou o aposentado. Ele ainda elogiou o atendimento. “Sempre que precisei fui muito bem atendido”.

Distribuição do atendimento – A construção das novas UPAs ocorreu com o objetivo de democratizar o serviço de urgência e emergência, chegando a todos com mais eficiência e qualidade. Em 2012, o único ponto específico para este tipo de atendimento era a UPA Oceania, localizada na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho, o chamado Retão de Manaíra. A unidade, no entanto, não podia suprir toda a demanda, o que mantinha alta a procura pelos hospitais.

Em agosto de 2014, a UPA Célio Pires de Sá, no Valentina, marcou o início da mudança. Ela trouxe atendimento mais próximo para toda a população da zona sul, incluindo bairros muito populosos, como Mangabeira. A unidade, que tem realizado uma média de oito mil atendimentos por mês, ainda cumpriu outro papel importante.

“Essa UPA chegou com a missão importante de desafogar a porta de entrada para urgência e emergência clínica no Ortotrauma e no Hospital do Valentina. Graças a ela, hoje o Hospital do Valentina tem especialidade em pediatria, o que melhorou o atendimento como um todo para a população”, explicou a diretora multiprofissional da UPA, Patrícia Martins.

Cruz das Armas – A UPA de Cruz das Armas chegou dois anos depois, e trouxe alento para uma região que estava descoberta. “Essa é uma região que possui muitas comunidades e uma população muito carente, gente que procura a UPA por resfriados ou dores de cabeça simplesmente por não poderem comprar o remédio”, explicou a diretora Roberta Barros.

Ela explicou que toda essa demanda estava sendo direcionada para a UPA do Valentina e para o Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) do Cristo. Agora o atendimento está perto de casa e as outras unidades podem focar em suas regiões. “Além disso, temos um número alto de atendimentos de outros municípios, já que somos a unidade mais próxima à entrada da cidade”, explicou, listando demandas de Bayeux, Santa Rita, Conde, Pedras de Fogo, Alhandra e outras cidades.

Especialidade – A UPA Dr. Lindbergh Farias, nos Bancários, foi a última a ser inaugurada, e veio com função dupla. Além de cobrir uma nova região, a unidade também funciona desafogando o atendimento do Ortotrauma, já que possui especialidade no atendimento de ortopedia. “Temos dois médicos ortopedistas diariamente e um total de 18 profissionais dessa especialidade na escala prontos para atendimentos que não exijam cirurgia”, explicou a diretora Claudenice Barbosa. Em quatro meses de funcionamento, a unidade já atendeu mais de 30 mil pessoas, sendo 1.270 em casos de ortopedia.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.