OUÇA: irmã de Ricardo coage possíveis servidores a fazer caminhada para Azevêdo

ELEIÇÕES 2018

Em áudio, irmã de Ricardo ameaça cortar cargos de servidores que não participarem da campanha de Azevedo

29 de setembro de 2018

Poderia ser apenas mais uma discussão entre amigos no Whatsapp. Mas nos áudios vazados de um grupo de apoiadores da candidatura de João Azevêdo, a voz que aparece é bastante conhecida na cena política paraibana.

Em seis trechos, Sandra Coutinho, irmã do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, ameaça e constrange pessoas que, supostamente, receberam cargos no Governo e não estariam se dedicando nos eventos de João Azevêdo.

Em diversos momentos, ela pressiona os membros do grupo e chega a confessar que guarda, em sua residência, informações sobre as pessoas que foram beneficiadas com cargos no Governo do irmão.

“Eu sei bem quem eu coloco pra trabalhar. Ninguém pense que eu esqueço nada, porque eu tenho, na minha casa… eu tenho na minha casa todos que eu emprego, todos que, de alguma forma, devem favores. Eu é que não tenho que tá atrás. Porque as pessoas têm que se tocarem (sic) que, na hora da necessidade, quem chegou foi Sandra Coutinho”, afirma, em um dos áudios que chegaram ao Tá Na Área.

Em diversos trechos fica claro o poder da irmã de Ricardo Coutinho em conseguir nomeações dentro do Governo do Estado. Em uma das falas, Sandra Coutinho afirma ter mais poderes até mesmo que os deputados.

“Lembrando que, aqui, quase uma totalidade, nós conseguimos colocar no mercado de trabalho. (…) eu duvido qual é o deputado, quem é que vai honrar com as pessoas do jeito que eu honro. Eu duvido. Eu aposto, tá entendendo?”, dispara a irmã de Ricardo Coutinho.

O estopim para o início das ameaças que Sandra Coutinho fez aos integrantes do grupo foi a dificuldade encontrada pela candidatura de João Azevêdo em mobilizar apoiadores para as caminhadas de campanha. A irmã do governador deixa claro que aqueles que não participarem dos eventos todos os dias deixarão de contar com o apoio dela.

“Todo mundo tá: ‘tamo junto’. Mas quando eu chego na caminhada são sempre as mesmas pessoas. Nunca tem mais gente. Aí fica complicado, né?”. (…) Eutô dizendo, tô avisando, que, a partir de hoje, eu quero pessoas desse grupo na caminhada. (…) Lembrando que ninguém é obrigado, não. Assim como eu não serei obrigada a ter honra com ninguém que não tem honra comigo. Meu compromisso será zero”, garante a irmã de Ricardo.

Sandra chega a citar o irmão governador para reforçar a pressão sobre os integrantes do grupo.

“Eu tô fazendo a relação, porque eu tô cheia de gente ingrato (sic). Eu não sou burra. Eu vou fazer que nem Ricardo: “ninguém bota papa na minha boca, não’. Quem tá junto, tá junto na hora da dor, na hora da caminhada, do suor, na hora de gastar sola de sapato”. Font Tá na Área.

você pode gostar também Mais do autor