‘Bike sem barreiras’ realiza primeiro dia de atividades no Parque da Lagoa

“Quando andei de bicicleta tive aquela velha sensação de liberdade, de ter o vento no rosto e a liberdade de estar pedalando”. Estas foram às palavras de Felipe Veras Pereira da Silva, que é deficiente visual, durante o primeiro dia de atividade do projeto ‘Bike sem barreiras’ no Parque da Lagoa. A iniciativa é uma parceria da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), Uninassau e do Instituto Ser Educacional. João Pessoa é a terceira cidade a receber o projeto, depois de Salvador e Recife.

O projeto vai funcionar todos os domingos das 8h às 12h, bem em frente as paradas de ônibus do Parque. O objetivo principal é o da inclusão social. Participam pessoas com paraplegia, lesões medulares, deficiência visual e mielomeningocele, um problema relacionado à espinha dorsal, Síndrome de Down e autismo.

As atividades contam com 50 monitores envolvidos no projeto para auxiliar e orientar o uso dos equipamentos, sendo 12 a cada domingo. Para ter acesso aos equipamentos, o usuário precisa apenas levar um documento com foto para a realização de um cadastro prévio.

Albertina José de Souza levou logo cedo o filho Jonas Manoel de Souza, que tem deficiência mental grave, para aproveitar o primeiro dia de atividades neste domingo (9).

“Tudo o que vier para pessoas com deficiência é muito importante porque elas precisam muito. Hoje ele se divertiu, andou de bicicleta e se sentiu muito feliz, sem falar no processo de socialização e prática de atividade. Espero que as pessoas que tenham alguém na família com deficiência tragam eles para cá porque vão adorar”, disse com alegria dona Albertina.

Para cada tipo de deficiência existe um modelo de bicicleta. A The Duet poderá ser utilizada por todos, suportando até 120 kg. A Handbike é destinada a usuários com lesões baixas e a Bicicleta Dupla para deficientes visuais, possibilitando que um monitor acompanhe o ciclista como guia.

O diretor regional da Uninassau, Rogério Xavier, disse que a tendência do projeto é se expandir. “O projeto está sendo muito produtivo. Já estamos planejando levar para a orla do Cabo Branco. Eu sempre digo que se não tivermos um local como este todo adaptado como é o Parque da Lagoa não teríamos como realizar o projeto. E o mais gratificante é você ver a alegria no rosto dessas pessoas, em uma bicicleta adaptada”, explicou o diretor.

A primeira-dama de João Pessoa, Maísa Cartaxo, e a diretora pedagógica da Uninassau João Pessoa, Flávia Simonassi, são as madrinhas do projeto. A universidade Uninassau doou as bicicletas ao município e garantiu monitores para acompanhar a utilização. A PMJP atua na parte de logística, garantindo tendas, suportes, água, protetor solar e serviços como fisioterapia aos usuários.

você pode gostar também Mais do autor