Nabor nega saída do PMDB e solicita que o recurso recuperado do FUNDEF seja dividido com professores de Patos

Na manhã desta quarta-feira (26) o deputado estadual Nabor Wanderley (PMDB) ocupou a Tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) e esclareceu que não tem intenção de deixar o PMDB, como veicularam alguns jornais do Estado. “Em nenhum momento discuti e tratei a possibilidade de deixar o partido, muito pelo contrário, tenho trabalhado no crescimento e fortalecimento do partido que faço parte, desde que iniciei minha vida pública, e que represento nesta Casa com muito orgulho, que é o nosso PMDB de guerra, o nosso PMDB que tem história na redemocratização do nosso país”, enfatizou Nabor.

Durante seu discurso, o deputado falou também que apresentou um requerimento solicitando à prefeitura de Patos que 60% do recurso recuperado do FUNDEF (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) seja repassado aos professores do município. Nabor explicou que, quando prefeito de Patos, entrou com uma ação para a recuperação de um recurso do FUNDEF que o município tinha direito e após transitado em julgado tornou precatório e será pago ainda neste ano de 2016. De acordo com o parlamentar, o montante pode chegar à ordem de mais de R$ 17 milhões e que ao ser repassados aos professores estarão reconhecendo sua importância para a Educação.

Na oportunidade, Nabor expressou também sua preocupação com a situação que a cidade de Patos vive hoje. Ele relatou que servidores de cargos comissionados e contratados estão sendo demitidos sem receber os salários pelo período trabalhado além da demissão de todos os diretores adjuntos das escolas municipais. “Sabendo que ainda faltam dois meses para o término do ano letivo essa demissão vai prejudicar a qualidade do ensino e da administração das escolas municipais”, ressaltou.

Para finalizar, o deputado falou da paralisação da empresa que faz a coleta de lixo, no município, e salientou que como cidadão patoense não pode aceitar e ver os desmandos que a cidade está vivendo. “Queremos que os responsáveis possam assumir a administração como um todo e cuidar da nossa cidade, nós lutamos muito para recuperar a nossa cidade para fazer com que Patos chegasse, hoje, aos seus 113 anos, uma cidade pujante, uma cidade que cresce e uma cidade que se desenvolve. Como um cidadão patoense, que represento nessa Casa, não podemos aceitar e ver os desmandos que a nossa cidade está vivendo e não trazermos a nossa voz preocupados com a qualidade de vida de todos os cidadãos patoenses”, finalizou.

 

você pode gostar também Mais do autor