Prefeitura trabalha para iniciar obras de contenção da erosão na barreira

A equipe técnica da Secretaria de Planejamento (Seplan) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) trabalha, desde o início da manhã desta quinta-feira (30), na elaboração do processo licitatório para execução da obra de contenção do processo erosivo na Barreira do Cabo Branco. Na noite desta quarta-feira (29), a PMJP recebeu a Licença Ambiental Prévia, emitida pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), que autoriza a realização do processo.

Segundo a secretária de Planejamento, Daniella Bandeira, o projeto executivo está pronto e agora é preciso aguardar a realização do procedimento licitatório que leva, em média, entre 90 e 120 dias, de acordo com a 866/93, que dispõe sobre Licitações Públicas.

“O projeto executivo da intervenção está pronto. Toda parte de drenagem, pavimentação, enrocamento, engorda e quebra-mares estão previstas na obra e já existe verba para iniciá-la. Como em toda obra pública, a medida que a obra for avançando, faremos medições do que está sendo feito, para direcionarmos devidamente os investimentos. O que podemos afirmar é que temos boa expectativa com relação a saúde financeira para execução do projeto”, destacou a secretária.

A Licença Prévia autoriza o projeto de pavimentação, drenagem e contenção da erosão nas áreas das praias do Cabo Branco e Seixas, além da recuperação das áreas degradadas. O documento foi entregue à Prefeitura na sede da Sudema um dia depois da Superintendência ter decidido, em reunião com o Ministério Público da Paraíba e a Secretaria de Planejamento de João Pessoa, pelo arquivamento do projeto executivo, que prevê a contenção do processo erosivo da barreira do Cabo Branco. O governo municipal aguardava o despacho do pedido de licenciamento ambiental à obra desde março de 2015.

Daniella Bandeira frisou que a Prefeitura vem trabalhando em todas as frentes legais possíveis para dar celeridade às obras de contenção. “Abrimos duas frentes de trabalho: usamos de métodos tradicionais, encaminhando à Sudema, há um ano e dois meses atrás, um projeto executivo, submetido à licenciamento ambiental e o outro, por causa do agravamento da situação e a aceleração maior do processo erosivo da barreira, decretamos a situação de emergência da falésia. Isso significa que, caso reconhecido pelo Governo Federal, vamos desburocratizar a contratação da empresa para o serviço”, ressaltou.

Emergência – Desde a última quarta-feira (22), a Prefeitura de João Pessoa decretou estado de emergência na área compreendida pela Falésia do Cabo Branco, Praça de Iemanjá até a Praia do Seixas. O decreto foi publicado numa edição especial do semanário e assinado pelo prefeito.

Conforme o decreto, em decorrência dos danos e prejuízos causados direta e indiretamente pelo desastre, a reabilitação de cenários e reconstrução da falésia estão acima da capacidade suportável pelo município. Ainda de acordo com o decreto, foram considerados os impactos da corrente marinha, ocorridas no município de João Pessoa nos últimos sete dias, e neste instante caracterizados como Erosão Costeira Marinha, segundo o Código Brasileiro de Desastres (Cobrade).

Projeto –
O projeto executivo da PMJP compreende a pavimentação, drenagem e contenção do processo de erosão marinha da falésia do Cabo Branco e também da Praia do Seixas. Uma cópia do projeto encontra-se à disposição da população, para exame e anotações, no gabinete da 1ª Promotoria do Meio Ambiente, localizado na Rua Rodrigues Chaves, nº 65, no Centro da Capital.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.