Gervasinho critica bancada federal por aceitar que retirem verbas para a construção do Viaduto do Geisel

O deputado estadual Gervásio Maia (PSB), entrou nesta terça-feira (14) na polêmica em relação as verbas retiradas para a construção do viaduto do Geisel. O deputado comentou que em 30 dias do governo interino de Michel Temer (PMDB), a primeira atitude do gestor foi retirar R$ 17 milhões que estavam depositados na conta da Paraíba, taxou a medida de retaliação e criticou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) por tentar amenizar a perda do estado e criticar o governado Ricardo Coutinho (PSB).

“É um ato contra o povo paraibano. Pensei que fosse montagem a entrevista do senador Cássio Cunha Lima. É inaceitável que se retire o que já havia sido conquistado”, disse.

Para o deputado é balela a história de que o viaduto está longe da conclusão. “Está quase pronto, vai ser inaugurado e é uma obra importante de mobilidade urbana da cidade de João Pessoa”, afirmou.

Gervásio destacou que os eleitores da Paraíba estarão muito atentos a esse tipo de comportamento e pede que a bancada federal defenda novos investimentos e não permitir que retirem o que já foi conquistado.

“Não há justificativa se não a retaliação política. A eleição já passou, o palanque já foi desmontado, mas aceitar que um senador da república diga o que foi dito por Cássio? Não vamos aceitar e queremos o dinheiro de volta”, disse.

Nas redes sociais, o senador Cássio afirmou que o Governo Federal repassou R$ 3,8 milhões e afirmou que as críticas à retirada do dinheiro, seriam polêmicas e factoides, para desviar do debate dos verdadeiros e graves problemas da Paraíba e finalizou parabenizando o ministro Bruno Araújo, “que com espírito público e grandeza, agiu em defesa da Paraíba”.

Questionado sobre o silêncio do deputado federal Manoel Júnior estopim da saída de Gervásio do PMDB, o socialista afirmou que Manoel Jr ficou calado, alfinetando “falou nos últimos meses [contra a presidenta Dilma] queríamos que ele agisse da mesma forma defendendo não interesses individuais, mas dos paraibanos”.

 

Paraíba.com

você pode gostar também Mais do autor