SOBRE ANJOS E DEMÔNIOS – A canonização de Irmã Dulce e o desprezo de Bolsonaro! – No texto de Marcos Thomaz

Como todo baiano, tenho a figura de Irmã Dulce bem viva no imaginário… A imagem da freira sempre remeteu a solidariedade, altruísmo, enfim boas ações, a candura e doçura que o próprio nome indica…

Apesar dessa natural associação de coisas bondosas, confesso que nunca fui além, pesquisei, quiçá me devotei a “Santa Dulce dos Pobres”, carrego essas impressões primárias como fruto de algo transmitido pelo consenso! E nesse caso, acredito que a idéia geral não contrarie a história! Realmente acredito…

Aliás, como não comungo da liturgia, doutrina, ou o que seja, não vejo qualquer relevância no rito de canonização de Irmã Dulce em relação a imagem que nutro dela. Não sou católico, não entendo como um processo conduzido por pessoas, meros mortais, pode sacramentar a santificação de alguém?!?! Na minha ótica é o completo paradoxo! Humanos designando deuses?!?!  Tampouco essa beatificação modificaria o que penso,ou não, sobre alguém… Mas, como frisei, não sigo os dogmas do catolicismo. No outro extremo, aos que seguem, esse processo representa sacralização da crença, quase um Nirvana da fé! E tenho profundo respeito por isso! Como tenho por todas as manifestações religiosas… até elas não se arvorarem detentoras do direito de intervir nos costumes da sociedade, além dos domínios de seus templos!!

Digo isso como cidadão comum, o que pensar então de um presidente, líder de uma nação que  tem o catolicismo como religião da maior parte da população e se recusa a participar de eventos de canonização da primeira santa brasileira?? Percebam que falei de recusa, rejeição, não impossibilidade diversa!! Pululam em sites diversos informações de que a não ida do presidente se deve a pressões de casa (esposa evangélica, sendo o próprio batizado na Assembléia de Deus) e ligação cada vez mais estreita com ala fundamentalista do protestantismo brasileiro… A isso também se somam especulações sobre retaliação do presidente a Igreja Católica pela realização do Sínodo dos Bispos na Amazônia para debater preservação da floresta…

Pois bem, além dos babados familiares, fofocas de púlpito religioso, ou conjecturas diversas, fato é que um Estadista, eu disse Estadista, de qualquer lugar desse mundão, simplesmente pelo cargo que ocupa, entenderia ser seu dever ter respeito, deferência a um evento dessa magnitude! Imaginem vocês, independente de preferência religiosa (alô, alô o Estado ainda é Laico!), estamos falando da religião da maioria dos brasileiros, da primeira santa nacional etc e tal…

Mas pensando melhor, começo a acreditar que isso foi uma providência divina, celestial, quem sabe um real milagre do “anjo bom da Bahia”… Como anunciava um meme, que viralizou nas redes nesses últimos dias: Irmã Dulce, a santa porreta baiana, mesmo antes de ser canonizada, já afastou o primeiro demônio!!”

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.