Leo Bezerra solicita audiência com prefeito e vice da Capital para tratar das emendas impositivas

O vereador Leo Bezerra (PSB) solicitou audiência com o prefeito e o vice-prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PV) e Manoel Júnior (Solidariedade), respectivamente, para tratar do cumprimento das emendas impositivas, durante pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira (24), da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). O vereador Marcos Henriques (PT) também utilizou seu tempo na tribuna para cobrar resolução no caso das emendas impositivas.

 

“Luto incansavelmente pelo coletivo, como na cobrança pela implementação das emendas impositivas. Gostaria de pedir socorro aos vereadores de situação e ao vice-prefeito Manoel Júnior. Gostaria de ser recebido pelo vice-prefeito, em seu gabinete, para debatermos sobre as emendas impositivas, já que o prefeito Luciano Cartaxo não quer dialogar. Já encaminhei cinco ofícios ao chefe do Executivo solicitando audiência, mas ainda aguardo resposta”, afirmou Leo Bezerra.

 

O parlamentar salientou que já conversou com o coordenador do Patrimônio Cultural de João Pessoa, Cássio Andrade, e com o secretário municipal de saúde, Adalberto Fulgêncio, e não teve problemas em ser recebido. Ele ressaltou a importância da Câmara e a Prefeitura da Capital entrarem em acordo para implementar as emendas impositivas.

 

“Chamei e continuo chamando, com muita humildade, em nome da Mesa Diretora, da qual sou vice-presidente, o prefeito para conversar com os vereadores desta Casa a fim de chegarmos a um denominador comum, que fique bom para a Prefeitura, para a Câmara e, principalmente, para a população de João Pessoa”, reforçou.

 

O vereador Marcos Henriques afirmou que as emendas impositivas dos parlamentares são frutos de reuniões nas comunidades, e baseadas nas necessidades de cada local. “Queremos que o Hospital Laureano, o Santa Izabel e os times de bairros recebam os recursos que destinamos a eles. Mas, estamos sendo podados”, enfatizou.

 

De acordo com o petista, a Lei Orçamentária Anual para o exercício financeiro de 2020 não prevê a porcentagem de 1,2% da receita corrente líquida do Município para as emendas impositivas. “Não quero acreditar nisso, quero acreditar que a Prefeitura pode dialogar. Sabemos que os vereadores da situação também clamam por isso, por resolver o problema. A Gestão precisa ter a humildade de nos receber, ou apenas cumprir as emendas impositivas. Queremos lutar pela cidade de João Pessoa, pelo que conquistamos e que, por hora, nos foi negado”, declarou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.