Veneziano e mais 7 parlamentares da Paraíba estão entre os mais influentes do Congresso Nacional

Dois senadores e seis deputados federais paraibanos estão entre os 150 mais influentes do Congresso Nacional. Os dados são do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) e levam em consideração os primeiros meses deste ano. No Senado, Daniella Ribeiro (Progressistas) e Veneziano Vital (PSB) representam o Estado. Já na Câmara a lista inclui os deputados Efraim Filho (DEM), Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), Gervásio Maia (PSB), Pedro Cunha Lima (PSDB) e Wellington Roberto (PL). Há também na lista a deputada paraibana Luíza Erundina (PSOL), que é deputada pelo Estado de São Paulo.

O levantamento feito pelo DIAP considera alguns aspectos da atuação parlamentar, como a capacidade de realização de discursos nos plenários do Senado e da Câmara, a força na articulação política e a apresentação de projetos de relevância.

Partidos

No caso dos partidos, o PT ainda continua liderando o ranking com o maior número de parlamentares considerados ‘cabeças’ pelo DIAP. Logo em seguida aparece o MDB, legenda do ex-presidente Michel Temer e que historicamente serve de ‘balança’ para votações importantes no Congresso Nacional. Já o PSL, partido de Bolsonaro, está em quarto lugar no grupo de ‘elite parlamentar’.

No caso dos paraibanos, a maioria dos apontados como ‘cabeças’ pelo DIAP tem histórico familiar na política e ‘herdou’ parte do capital político dos pais e familiares, mas tem conquistado espaços importantes nos partidos ocupados pelos parentes. É o caso do deputado Pedro Cunha Lima, filho do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e hoje um dos líderes tucanos na Câmara; do deputado Efraim Filho, filho do ex-senador Efraim Morais (DEM) e figura de destaque no Democratas; e do senador Veneziano Vital, irmão do ex-senador e hoje ministro do TCU, Vital do Rêgo Filho, e filho do ex-deputado federal Vital do Rêgo.

Paraibano de fora

Na contramão dos parlamentares em ascensão o deputado paraibano Hugo Motta, que já esteve presente no ranking do DIAP em anos anteriores, acabou ficando de fora esse ano. Hugo chegou a presidir a Comissão parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás, na Câmara Federal, mas perdeu força ao trocar o MDB pelo PRB.

A pesquisa inclui apenas os parlamentares que estavam no efetivo exercício do mandato no período de fevereiro a junho de 2019. Assim, quem esteve ou está licenciado do mandato, mesmo influente, não faz parte da publicação. Por conta disso não estão na lista, por exemplo, figurões da política nacional como o ministro da Ônyx Lorenzoni (DEM-RS), atual ministro da Casa Civil do Governo Jair Bolsonaro, e Osmar Terra (MDB-RS), ministro da Cidadania no Governo Federal.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.