Presa na Operação Calvário, Maria Laura Carneiro é exonerada do cargo no Governo do Estado

A servidora pública, lotada na Procuradoria Geral do Estado, Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro, presa na Operação Calvário, foi exonerada do cargo de assistente de gabinete. A exoneração foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (7). A servidora foi presa na quarta fase da operação, desencadeada pelo Ministério Público, no dia 30 de abril.

A Operação Calvário investiga núcleos de uma organização criminosa comandada por Daniel Gomes da Silva, que é acusado por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde da Paraíba, com valores chegando a R$ 1,1 bilhão, possuindo atuação em outros estados, como o Rio de Janeiro.

Além do mandado de prisão preventiva contra Maria Laura, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão na mesma fase da operação, deflagrada após depoimentos da ex-secretária de administração, Livânia Farias, ex-secretária de administração do Estado.

Movimentação de dinheiro

Indícios de grande movimentação de dinheiro em espécie foram encontrados pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), na terceira fase da operação. De acordo com o MP, fitas de “maços” de dinheiro, utilizadas para amarrar grandes quantias, foram encontradas no bairro Costa e Silva, em endereços de Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro, servidora pública e esposa de outro investigado na operação.

Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro foi encaminhada ao Centro de Reeducação Feminina Maria Júlia Maranhão, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. G1 Paraíba

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.