Assembleia instala Frente Parlamentar da Ciência, Tecnologia e Inovação

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou audiência pública, nesta quinta-feira (02), para instalar a Frente Parlamentar da Ciência, Tecnologia e Inovação, que tem como finalidade debater os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS’s) de uma forma mais ampla com a sociedade e traçar políticas públicas para o setor com o Governo do Estado. A propositura foi do deputado Buba Germano, que presidirá a Frente.

A audiência pública foi realizada no Plenário deputado José Mariz e, além de servir para instalação da Frente Parlamentar da Ciência, Tecnologia e Inovação, contribuiu para debater o tema com representantes de universidades, de centros de tecnologias, pesquisadores e professores. Buba disse que a Frente é, sobretudo, a oportunidade de caminhar em conjunto com comunidades científicas, instituições e a iniciativa privada.

“Pretendemos discutir como se encontra o nosso estado e onde queremos chegar. Trata-se de uma agenda de desenvolvimento sustentável para 2030. É uma agenda internacional de 197 países, que estabeleceram em 2015 os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS’s) e esta é uma oportunidade ímpar para discutirmos ciência e tecnologia e o que a Paraíba tem dentro das instituições”, explicou.

O deputado destacou ainda que pretende dialogar com o Governo do Estado o marco legal de ciência e tecnologia. “Vamos provocar a comunidade acadêmica, pois temos um acervo muito forte no Estado. Queremos provocar no sentido de que esse resultado chegue até a sociedade. Queremos discutir em conjunto energia renovável, eólica, solar, além da mudança climática e como queremos a nossa Paraíba para 2030”, disse o parlamentar.

Defensor de alternativas sustentáveis como forma de levar desenvolvimento as mais variadas regiões da Paraíba, o vice-presidente da Frente Parlamentar da Ciência, Tecnologia e Inovação, deputado Jeová Campos, afirmou que a Assembleia não pode deixar de debater temas importantes para o futuro da Paraíba. De acordo com Jeová, o mundo atual busca apresentar soluções de tecnologias sustentáveis e a Casa de Epitácio Pessoa precisa participar desta discussão.

“A Paraíba tem um potencial enorme e que poucos estados têm. Precisamos tornar este estado produtivo, que faça inclusão de setores importantes e da juventude que tem interesse em crescer nessa área. Cabe a Assembleia participar do grande debate e estar antenada na discussão, facilitando os empreendimentos na área da ciência e tecnologia”, declarou o deputado.

O secretário executivo de Estado da Ciência e Tecnologia, Cláudio Furtado, apresentou dados que fazem da Paraíba uma importante referência no segmento. De acordo com o secretário, a Paraíba se apresenta como o 5º estado do país em número de doutores em ciência e tecnologia, o que comprova a mão de obra qualificada formada pelo estado e a capacidade das universidades em produzir profissionais.

Com o investimento de mais de R$ 200 milhões na área, Furtado revelou que, atualmente, a Paraíba ocupa a 9ª posição no ranking da inovação tecnológica. “Esse debate mostra a capacidade e a importância da Frente criada pelo deputado Buba, para que desta forma possamos pegar o que tem se desenvolvido no nosso estado e melhorar a vida dos paraibanos. Precisamos fazer com que o que seja produzido nas universidades seja agregado ao PIB (Produto Interno Bruto) e que os resultados do trabalho cheguem à população”, observou o secretário.

O pró-reitor de Pesquisas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Isaac Medeiros, revelou que as potencialidades do estado têm sido discutidas na Instituição, no entanto, demonstrou preocupação com o setor ao acrescentar que a contenção orçamentária no país tem afetado as universidades e que a partir do mês de setembro não haverá mais a garantia da continuidade de atividades de pesquisa e pós-graduação.

“Já estamos com corte em torno de cinco mil bolsas dentro de projeto de pesquisa aprovado no âmbito do CNPQ. Um cenário preocupante. Aqui, na Paraíba, as instituições também têm sofrido cortes orçamentários, como todos sabem, em torno de 30%. Isso vai causar um problema em relação ao funcionamento de atividades básicas”, pontuou. O pró-reitor disse ainda que será extremamente complicado levar melhoria a qualidade de vida da população, sem a realização de investimentos em ciência, tecnologia e educação.

O coordenador Geral de Pesquisa da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Luciano Barosi, parabenizou o deputado Buba Germano pela iniciativa da instalação da Frente e declarou que é necessário unir todos os representantes da sociedade, assim como, pesquisadores dos principais institutos com o objetivo de incluí-los na construção de uma melhor qualidade de vida, não só no futuro, mas também no presente.

“Precisamos reconhecer que uma sociedade justa, com projetos para enfrentar os grandes desafios sociais, passa pela consciência de que problemas complexos não têm soluções fáceis. Construir soluções para um Brasil do Século XXI passa por compreender as ‘expertises’ que temos disponíveis e fortalecer aquelas que nos faltam”, argumentou Barosi.

Representando o reitor Rangel Júnior, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), o coordenador em Ciência, Tecnologia e Pesquisa, professor Cindoval Moraes de Sousa, defendeu a implantação de uma agenda integrada envolvendo universidades, institutos federais de tecnologia e instituições de pesquisa, com o intuito de unir a todos, de forma interdisciplinar, em torno das principais dificuldades e demandas. “Nós temos questões específicas e particulares. Acho fundamental criar uma rede de circulação, não do pesquisador, mas do perfil da nossa pesquisa. Uma rede que possa ser integrada para que a gente, a partir dessa ferramenta, a comunidade, não só científica, mas empresarial e associações e movimentos, possam saber o que a universidade faz”, declarou.

A audiência pública proposta pelo deputado Buba Germano contou ainda com a presença dos deputados Moacir Rodrigues, Raniery Paulino, Estela Bezerra e Tovar Correia Lima; do presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapesq), professor Roberto Germano; do Diretor do Instituto Federal de Tecnologia da Paraíba – Campus Picuí, professor Luciano Pacelli; do pró-reitor de Pesquisa e Extensão da UFCG, professor Onireves Castro; do gerente de mercado e representante do Setor Privado Produtivo, Felipe Guedes; além de representantes de instituições de pesquisas, alunos e professores da área da ciência e tecnologia.

Sessão ordinária

Antes do início da Audiência Pública, os deputados ainda participaram da sessão ordinária, que contou com a presença de Camila Toscano, Raniery Paulino, Cabo Gilberto, Anderson Monteiro, Walber Virgulino, Tovar e Moacir Rodrigues.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.