CRM dá prazo de 90 dias para Governo resolver precariedade de maternidade na Capital

A Maternidade Frei Damião, localizada no bairro Cruz das Armas, em João Pessoa tem irregularidades que devem ser solucionadas em um prazo de 90 dias, conforme divulgado pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), nesta segunda-feira (11), após uma fiscalização.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que a maternidade está funcionando na capacidade total e que uma “grande reforma” deve ser iniciada nos próximos meses. Contudo, para que o atendimento não seja suspenso, a SES informou que está procurando um prédio que comporte a estrutura, onde a unidade deve funcionar nesse período.

Entre os problemas encontrados, segundo o CRM-PB, estão superlotação; higiene precária; falta de conservação predial; falta de roupas, de cama e vestuário para pacientes e profissionais; e enfermarias sem ventilação e quentes.

Condições de higiene precária estão entre as irregularidades observadas pelo CRM-PB, durante fiscalziação na Maternidade Frei Damião, em João Pessoa — Foto: CRM-PB/Divulgação

De acordo com o diretor de fiscalização do Conselho, João Alberto Pessoa, as irregularidades observadas foram apresentadas à SES, que se comprometeu a solucionar a situação em 90 dias.

Nesse período, uma reforma deve ser feita na unidade ou os pacientes devem ser transferidos para outro local. Caso isso não ocorra, o CRM-PB poderá interditar eticamente os profissionais que atuam na maternidade.

O Conselho informou que a vistoria foi motivada por denúncias de pacientes e acompanhantes. O relatório sobre a fiscalização deve ser encaminhado à direção do hospital, à SES e ao Ministério Público da Paraíba. G1 Paraíba

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.