Procon-JP dá dicas para quem pretende viajar nas férias

Quem pretende aproveitar o período das férias do início do ano para viajar, deve ficar alerta para duas situações: planejar o destino e o orçamento da viagem com antecedência para não tomar decisões ‘em cima da hora’ e também ficar atento para as promoções vantajosas de pacotes das agências de viagens. Como forma de orientar o consumidor, a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) dá dicas de como organizar a viagem.

O primeiro passo é o planejamento do orçamento doméstico considerando o dinheiro disponível após o pagamento das contas de praxe do início do ano, a exemplo de impostos e material escolar. Se o orçamento ficar muito apertado, o conselho do Secretário do Procon-JP, Helton Renê, é que o consumidor reduza o tempo da viagem ou até mesmo mude o roteiro, escolhendo um local mais perto de casa, com destino mais barato.

Para ele, o “importante é que as pessoas se divirtam, aproveitando o período das férias escolares dos filhos em consonância com a folga do trabalho dos pais. Como o lazer é uma questão de saúde, deve entrar, inclusive, como necessidade no orçamento doméstico. Daí a importância do planejamento, porque fica difícil se divertir pensando nas contas que se tem a pagar”, aconselha.

Pacotes – Outro ponto a ser ponderado é quanto às viagens que já foram programadas e para quem até já efetuou o pagamento. Para o consumidor que já se programou e efetivou pagamento de algum pacote através de agência de turismo, deve observar se a empresa está regularmente cadastrada no Ministério do Turismo. Helton Renê salienta que esse cadastro promove o ordenamento, a formalização e a legalização dos prestadores de serviços turísticos no Brasil. “Dessa maneira, o consumidor pode checar se a agência atende as normas e está legalmente apta para atuar nesse segmento”.

Promoções – Outra atenção é quanto às promoções de pacotes de viagens. “Geralmente os pacotes oferecidos pelas agências de viagem incluem transporte, hospedagem, passeio turístico, caminhadas, atividades extras, dentre outros serviços. O roteiro vai variar segundo o desejo do consumidor e do que melhor atende suas necessidades dentro do quanto ele pode pagar, isso em qualquer tipo de pacote: nacionais e internacionais, individuais e coletivos”.

Precaução – O titular do Procon-JP aconselha que o consumidor deve atentar para todos os detalhes do contrato, lendo todas as cláusulas, para que tudo fique muito bem esclarecido. “É fundamental que sejam guardados os materiais publicitários do serviço oferecido, para se garantir, caso haja descumprimento do que foi acordado no contrato, porque todo esse material pode ser usado se houver necessidade de reivindicar os direitos em órgãos de defesa do consumidor. Inclusive, deve guardar as mensagens eletrônicas trocadas durante a negociação”, salientou Helton Renê.

Confirmações – O consumidor deve exigir as confirmações de reserva, passagem e demais serviços por escrito, conferindo informações de “check-in”, “check-out” e taxas. “Essas confirmações servem tanto para a compra dos pacotes de turismo de forma presencial quanto pela internet. Tudo deve ser checado até a véspera da viagem, pelo menos. Se a pessoa ficar atenta a tudo isso, é só aproveitar a viagem e curtir os dias de folga”, disse o secretário.

Cancelamento – Quando houver a necessidade de cancelamento da viagem, o consumidor deve fazê-lo por escrito, ficando alerta ao que diz o contrato e ao valor total do pacote, uma vez que a empresa poderá, nesse caso, cobrar multa. “Adianto que, quanto mais próximo da viagem for a desistência, maior poderá ser o valor da multa a ser paga. Mas, se cancelamento partir da agência, ela deverá restituir ao cliente o valor pago, prejuízos financeiros e possíveis danos”, informou o titular do Procon-JP.

você pode gostar também Mais do autor