Veneziano propõe ginástica laboral e acompanhamento psicológico aos profissionais de telemarketing

As empresas de teleatendimento ou telemarketing serão obrigadas a oferecerem serviços de ginástica laboral e atendimento psicológico a seus empregados. É o que propõe o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB/PB) em seu Projeto de Lei nº 8.100/2017, que ressalta que a participação do funcionário na ginástica laboral não será obrigatória, e a recusa do trabalhador em praticá-la não poderá ser utilizada para efeito de qualquer punição.

Segundo a proposta de Veneziano, as empresas de telemarketing com 50 funcionários ou mais deverão manter, durante todo o seu horário de funcionamento, um ou mais profissionais disponíveis para realização e tutoria de ginástica laboral para seus trabalhadores, que deverá ser oferecida para todos os empregados que trabalhem no atendimento de clientes, durante o horário de trabalho, não podendo ser realizada nos períodos de descanso previstos na legislação ou em acordo coletivo.

Já nas empresas com menos de 50 funcionários deverá ser feito treinamento de ginástica laboral para os funcionários na admissão e a cada três meses, e sua prática deverá ser estimulada. Essas empresas deverão informar a seus funcionários sobre a existência e importância deste serviço para manter a integridade da saúde corporal e mental de seus funcionários.

“Entende-se que as empresas que possuem uma quantidade razoável de empregados na função de teleatendimento deveriam manter profissionais capacitados para comandarem a ginástica laboral em caráter permanente, o que evitaria muitos problemas de saúde”, afirma o parlamentar.

Insalubridade – O deputado Veneziano justifica a sua proposta ao ressaltar que os profissionais de telemarketing atuam em um ambiente de estresse significativo, em postos de trabalho pouco ergonômicos, atuando em estações de trabalho com teclado, monitor e mouse durante praticamente toda a jornada, em posições inadequadas e exercendo funções repetitivas, com a necessidade de cumprimento de metas, e cobrança constante dos supervisores, o que pode levar ao surgimento de doenças.

“A relação do operador de telemarketing com os clientes nem sempre é muito amigável, o que também contribui para o sofrimento mental destes trabalhadores, além da situação insalubre do local de trabalho, que pode frequentemente levar a lesões osteomusculares. Nossa proposta pretende atuar nesses dois problemas, propondo que o empregador ofereça a ginástica laboral e acompanhamento psicológico, para evitar o surgimento de problemas mais sérios, e consequentemente, reduzir o sedentarismo e o estresse”, destaca Veneziano.

Categoria em crescimento – A profissão de operadora ou operador de teleatendimento, ou telemarketing, representa atualmente uma das maiores categorias profissionais do Brasil, com mais de um milhão de trabalhadores. Com o aumento do acesso à população à internet e seus serviços, esse número tende a aumentar, possibilitando a geração de emprego e renda nas cidades brasileiras.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.