Iphan confirma que projeto que torna Feira de Campina Patrimônio foi da gestão Veneziano

Diante das informações inverídicas produzidas pela Prefeitura de Campina Grande, dando conta que o Instituto Cultural do Brasil teria desaprovado projeto da administração anterior e somente agora teria aprovado iniciativa da atual administração, a assessoria de comunicação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), respondeu mensagem enviada pela assessoria do deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB), e confirmou que foi mantido o pedido de reconhecimento feito há 10 anos, ou seja, na gestão do ex-prefeito peemedebista.

 

Déborah Gouthier, da Assessoria de Comunicação do Iphan, assim respondeu à indagação da assessoria do deputado: “O pedido de reconhecimento da Feira de Campina Grande pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) foi feito formalmente há dez anos, em uma articulação entre a Prefeitura Municipal de Campina Grande e grupos de feirantes e fregueses. A partir daí, foi iniciado um intenso processo colaborativo de diálogos e pesquisas, que agora reúne as principais referências culturais presentes na Feira campinense, além de propostas para sua salvaguarda”. Inclusive, no próprio site do Iphan (https://goo.gl/CWwmV4), há o registro desse pedido feito há 10 anos.

 

Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, dia 27 passado, o parlamentar usou a tribuna para destacar essa conquista e ressaltar que, na sua administração, iniciou-se o processo de revitalização daquela Feiura, a partir de várias intervenções, com desapropriações de imóveis, mas que não houve tempo hábil para o início da obra física: “Mesmo assim, quando deixamos a Prefeitura, conseguir deixar dinheiro em caixa para a obra, recurso que foi abandonado pela atual gestão”, lamentou o ex-prefeito na tribuna daquela Casa.

 

“Fica feito o registro que o pedido de reconhecimento da Feira como Patrimônio Imaterial, foi feito há 10 anos. E não quero com isso, tirar vantagens de nada, apenas se fazer cumprir um registro histórico e necessário, diante de inverdades publicadas em grupos de comunicação da cidade. A Feira Central de Campina Grande não é patrimônio de ninguém. Ela é de todos nós! Viva a Feira!”, destacou Veneziano Vital.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.