Comemorando o Dia de Preservação da Camada de Ozônio, João Pessoa tem mais de 123 mil árvores plantadas

Uma das maiores preocupações do mundo moderno é com o ecossistema, e a camada de ozônio é dos principais alvos dessa inquietação. Para discutir e debater o tema, foi criado o Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio, comemorado na próxima sexta-feira (16). Para contribuir com a causa, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) está fazendo sua parte, construindo, revitalizando e arborizando praças, estimulando o uso de bicicletas disponibilizando ciclofaixas e ciclovias, além de ter plantado mais de 123 mil árvores em 3 anos de gestão.

Localizada no contexto geográfico das Bacias Costeiras do Atlântico Nordeste Oriental, o município de João Pessoa tem, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, uma área de 211,474 km², encontrando-se no domínio da Mata Atlântica.

Para manter o patrimônio ambiental da cidade, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) desenvolve uma série de ações de preservação e recuperação de áreas verdes. No período de 2013 a 2016, por exemplo, foram plantadas 123.427 árvores em locais como calçadas, praças, canteiros centrais, áreas degradadas, nascentes de rios, mata ciliares, escolas e Centros de Referência em Educação Infantil (Creis).

Além desses locais que receberam plantio de árvores, João Pessoa ainda dispõe de dez áreas verdes prioritárias, que são: Mata do Buraquinho, áreas verdes de Mangabeira e Jacarapé, Sítio da Graça, desembocadura do Cuiá, Horto Florestal e Rio Cabelo, Sítio Betel e Timbó, baixo curso do Rio Gramame, médio curso do Rio Gramame, margem do Rio Mumbaba e confluência dos rios Cuiá e Laranjeiras, totalizando 2.120,61 hectares.

Novas praças, mais verde –
Mas a PMJP não procura preservar apenas áreas verdes. O perímetro urbano também é contemplado com intervenções que visam melhorar o meio ambiente. O exemplo é a construção e revitalização de praças em vários bairros. É o caso do Novo Parque da Lagoa Solon de Lucena, que foi completamente revitalizado. Somente no local foram plantadas cerca de 500 novas mudas, entre espécies arbóreas e arbustivas. A iniciativa provocou uma completa transformação na paisagem do Centro da Capital, proporcionando à população mais um espaço de lazer e contato com a natureza, melhorando a qualidade do ar para pedestres, motoristas e comerciantes em meio à aglomeração de edifícios, lojas e asfalto.

Outro espaço que voltou a fazer parte da rotina do pessoense e que contribui com meio ambiente é a Praça da Independência. O local passou por uma completa revitalização e reorganização paisagística. As obras partiram de um rigoroso mapeamento dos 24 canteiros internos e externos e um levantamento de todo o seu plantel arbóreo.

As espécies utilizadas na cobertura vegetal são exemplares arbóreos, herbáceos e arbustivos, contando com Ixóras vermelhas e amarelas, Helicônias, Dianelas, Dracenas, Arcas de Noé, Panamás vermelhos e assistácias, além dos Ipês amarelo, branco e roxo, Angico, Pau Brasil, Murici, Imbiriba e Sucupira.

Mobilidade – Além de preservar e criar cada vez mais espaços verdes na Capital, também é necessário criar medidas que diminuam a produção e liberação de poluentes no ar, a exemplo do monóxido de carbono, um dos gases que mais prejudicam a camada de ozônio. Esse gás é liberado pela queima de combustível de veículos automotivos como carros, motos e ônibus.

Dessa forma, para incentivar o uso da bicicleta, a PMJP está investindo em malha cicloviária. Atualmente, João Pessoa conta com aproximadamente 60 quilômetros entre ciclovias, ciclofaixas e faixa preferencial e lazer. Ciclovias são aproximadamente 14 km, a exemplo da orla de Tambaú e Cabo Branco. Já as ciclofaixas são aproximadamente 26 km e podem ser encontradas na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho e nos bairros de Manaíra, Bessa, Altiplano, Valentina, Geisel e Mangabeira.

A população pode contar ainda com a faixa preferencial e de lazer, que juntas compreendem 22km de extensão, a exemplo da ciclofaixa de lazer, aos domingos, na Avenida Epitácio Pessoa e Avenida Panorâmica (PB-008) e a faixa preferencial na Avenida Antônio Mariz, no bairro de Quadramares. Existe o mesmo projeto para ser implantado na Avenida Beira-Rio, da praia até a Lagoa, que chega a aproximadamente 8 km de extensão.

Diferença entre ciclofaixa e ciclovia

Ciclovia – Pista própria destinada à circulação de ciclos, separada fisicamente do tráfego comum.
Ciclofaixa – Parte da pista de rolamento destinada à circulação exclusiva de ciclos, delimitada por sinalização específica.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.