Começou o rompimento: ministro do PMDB entrega cargo a Dilma

Na véspera do seu partido, o PMDB, tomar a decisão de deixar ou não o governo, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, entregou nesta segunda-feira (28) o cargo à presidenta Dilma Rousseff.

Alegando ser uma decisão “difícil” e afirmando estar certo de que a presidenta entenderá sua posição, Henrique Alves disse que o diálogo “se exauriu”.

Amanhã (29), o Diretório Nacional do PMDB define a permanência ou não no governo. O ministro é um dos principais aliados do vice-presidente Michel Temer, presidente nacional da legenda.

Por meio de uma carta endereçada à presidenta, Henrique Alves informou que pensou “muito” antes de tomar a decisão de deixar o governo, considerando as “motivações e desafios” que o fizeram assumir a pasta, como fazer do turismo uma “importante agenda econômica”.

“Independentemente de nossas intenções, o momento nacional coloca agora o PMDB, meu partido há 46 anos, diante do desafio maior de escolher seu caminho, sob a presidência do meu companheiro de tantas lutas, Michel Temer. Todos – o governo que assumi e o PMDB que sou – sabem que sempre prezei o diálogo permanente. Diálogo este que – lamento admitir – se exauriu”, acrescentou.

Pela manhã, Dilma se reuniu com Henrique Alves e outros cinco ministros do partido que compõem o governo. Até o momento, o Palácio do Planalto não confirmou o pedido de demissão de Alves nem divulgou um comunicado oficial sobre sua saída.

Agência Brasil

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.